Padrões duplos: EUA, Reino Unido e França defendem criminosamente os sauditas no Iêmen, mas são moralistas na Síria