O “acordo do século”: os EUA querem que Netanyahu “oficialmente” ocupe a Cisjordânia