Venezuela lança exercícios militares ao longo da fronteira com a Colômbia

 

Membros da Guarda Nacional da Venezuela participam de um exercício militar no aeroporto Garcia Hevia em La Fria, Estado de Tachira, em 10 de setembro de 2019 (Foto por AFP)
Membros da Guarda Nacional da Venezuela participam de um exercício militar no aeroporto Garcia Hevia em La Fria, Estado de Tachira, em 10 de setembro de 2019 (Foto por AFP)

A Venezuela lançou extensos exercícios militares ao longo da fronteira com a Colômbia, em um esforço para se preparar para qualquer invasão estrangeira, em meio às crescentes tensões entre Caracas e Bogotá.

O exército venezuelano enviou 150.000 soldados, tanques e porta-mísseis ao redor do aeroporto de La Fria, no estado fronteiriço de Tachira na terça-feira, disse o comandante operacional estratégico das forças armadas, Remigio Ceballos.

Os exercícios – que devem continuar por várias semanas – estão “relacionados à segurança, exploração e interceptação de qualquer invasão do território venezuelano”, disse ele.

“Nós respeitamos as forças armadas em todo o mundo, mas não temos medo de ninguém”, acrescentou Ceballos.

O desdobramento ocorreu uma semana depois que o presidente Nicolas Maduro ordenou ao comandante das forças armadas que “declarasse um alerta … diante da ameaça de agressão da Colômbia à Venezuela”.

As relações tensas entre Maduro e o presidente da extrema-direita colombiana Ivan Duque pioraram ainda mais no início do mês, quando Duque acusou Maduro de fornecer “abrigo e apoio” ao grupo rebelde colombiano FARC.

As FARC recentemente pegaram em armas mais uma vez após três anos de paz com o governo colombiano.

Maduro, no entanto, negou a alegação, dizendo que o governo colombiano estava “usando acusações infundadas para ameaçar a Venezuela e provocar um conflito militar com nosso país”.

Em reação aos exercícios militares, a vice-presidente colombiana Marta Lucia Ramirez disse que os militares estavam preparados para “qualquer ataque externo”.

“Pedimos calma a todos os colombianos, sabendo que possuímos uma força pública suficientemente equipada e capaz”, disse ela.

Enquanto isso, o representante especial dos EUA para a Venezuela Elliott Abrams disse que a Colômbia teria o apoio total de Washington no caso de uma invasão militar da Venezuela.

“Espero que [os exercícios militares venezuelanos] sejam apenas um ato político sem nenhum significado de segurança ou militar”, disse ele em Bruxelas. “Espero que [as forças armadas da Venezuela] não sejam loucas o suficiente para se envolver em qualquer tipo de ataque à Colômbia, e certamente é o caso que a Colômbia terá total apoio americano se isso acontecer”.

Os EUA impuseram várias rodadas de sanções contra a Venezuela para expulsar Maduro e substituí-lo por uma figura da oposição.

Presstv


 

Be Sociable, Share!

URL curta: http://navalbrasil.com/?p=260810

Publicado por em set 12 2019. Arquivado em TÓPICO III. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta, ou trackbacks a esta entrada

Deixe uma Resposta

CLIQUE ACIMA PARA RECEBER COMENTÁRIOS POR E-MAIL. ATENÇÃO: AO COMENTAR, UTILIZE UM E-MAIL ÚTIL - COOPERE COM NOSSO TRABALHO.

CLIQUE SOBRE AS NOTÍCIAS