Turquia diz ter pago depósito para aquisição dos sistemas de defesa russo S-400

A Turquia diz que pagou um depósito como parte de um acordo com a Rússia para a compra de um sistema de defesa aérea.

“Nossos amigos já assinaram [um acordo sobre] S-400s. Um depósito também foi pago, tanto quanto eu sei “, disse o presidente Recep Tayyip Erdogan, do jornal turco Hurriyet Daily News.

“O processo continuará através de uma transferência de um crédito da Rússia para nós. Tanto o senhor Putin como a nossa, estamos determinados nesta questão “, acrescentou, referindo-se ao presidente russo.

Bloomberg primeiro relatou o acordo em julho, mas não houve confirmação oficial da Turquia ou da Rússia. Bloomberg disse naquela época que o acordo veria a Rússia enviar dois sistemas S-400 para a Turquia até o final de 2018, e depois ajudar o país a produzir mais dois. Ele colocou o valor do negócio em cerca de US $ 2,5 bilhões.

Consulte Mais informação:

O S-400 é um sistema de mísseis russo avançado. Ele é projetado para detectar, rastrear e destruir aviões, drones ou mísseis até 402 quilômetros de distância. Já foi vendido apenas para a China e a Índia.

Antes de gravitar em relação à Rússia, os militares turcos abandonaram um contrato de US $ 3,4 bilhões para um sistema chinês similar.

A retirada, segundo os relatórios, ocorreu sob pressão dos Estados Unidos, que domina a aliança militar ocidental da OTAN, da qual a Turquia é membro.

Nem o S-400 nem o equivalente chinês, FD200, são compatíveis com outros sistemas militares da OTAN, o que significa que eles não estão vinculados pelas instruções da OTAN que impedem que a Turquia use essas armas.

Be Sociable, Share!

URL curta: http://navalbrasil.com/?p=256289

Publicado por em set 12 2017. Arquivado em TÓPICO IV. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta, ou trackbacks a esta entrada

Deixe uma Resposta

CLIQUE ACIMA PARA RECEBER COMENTÁRIOS POR E-MAIL. ATENÇÃO: AO COMENTAR, UTILIZE UM E-MAIL ÚTIL - COOPERE COM NOSSO TRABALHO.

CLIQUE SOBRE AS NOTÍCIAS