Temer cancela reunião com militares em que iria explicar gravação

 

Alan Santos/PR

 

O encontro seria para Temer dar explicações sobre a crise aos militares, com a expectativa de receber a solidariedade dos comandantes, foi remarcado para o fim da tarde, às 17 horas, no Palácio do Planalto.

Segundo o jornal O Estado de S. Paulo, Temer está estudando fazer um novo pronunciamento. PAra isso, sua equipe está analisando o conteúdo das gravações divulgadas nesta quinta-feira (18), de sua conversa com empresário da JBS Joesley Batista, em que endossa a compra do silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que está preso.

Para desespero de Temer e de seu governo, são aguardadas nesta sexta novas divulgações de áudios e documentos e não se sabe exatamente o que consta deles. Por isso, prosseguem análises jurídicas de todas as questões.

Temer acha que precisa falar de novo para tentar convencer de que o diálogo com Joesley não configura crime, apesar do empresário dizer que estava corrompendo um juiz e um procurador para obter vantagens indevidas em processos contra a JBS. Temer não contesta, pelo contrário, disse: “Ótimo, ótimo”.

Dentro das estratégias jurídicas para desqualificar a prova, o Palácio enviou para peritos o áudio gravado, acusando que foi feita uma edição e, caso consiga confirmar isso, usará o argumento de que ele foi vítima de “conspiração”.

“Tem que manter isso, viu?”, respondeu Temer no momento que Joesley disse que estava pagando pelo silêncio de Cunha.

Do Portal Vermelho, com informações de agências


 

Be Sociable, Share!

URL curta: http://navalbrasil.com/?p=255020

Publicado por em maio 19 2017. Arquivado em 3. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta, ou trackbacks a esta entrada

Deixe uma Resposta

CLIQUE ACIMA PARA RECEBER COMENTÁRIOS POR E-MAIL. ATENÇÃO: AO COMENTAR, UTILIZE UM E-MAIL ÚTIL - COOPERE COM NOSSO TRABALHO.

CLIQUE SOBRE AS NOTÍCIAS