Suécia comprará mísseis Patriot após pressão de Trump

Um lançador de defesa antiaérea e aéreo Patriot dispara um interceptor durante um teste anterior na White Sands Missile Range, no Novo México.  (Foto do arquivo)
Um lançador de defesa antiaérea e aéreo Patriot dispara um interceptor durante um teste anterior na White Sands Missile Range, no Novo México. (Foto do arquivo)

A Suécia diz que autorizou seus militares a comprar o sistema de mísseis de defesa aérea Patriot dos Estados Unidos, em meio ao que foi citado como ameaças crescentes por parte da Rússia.

O governo disse em um comunicado que decidiu autorizar as forças armadas suecas a comprar um novo sistema de defesa aérea de médio alcance.

A nova compra substituirá o atual sistema de defesa aérea, que não é capaz de abater mísseis balísticos, segundo um relatório da Reuters.

O acordo – com um valor de 10 mil milhões de coroas suecas (US $ 1,13 bilhão) – que também incluem quatro sistemas de disparo e dois tipos de mísseis, bem como outros equipamentos e treinamento, de acordo com a declaração do Governo da Suécia.

A Suécia expressou anteriormente preocupações sobre o que descreveu como piora da situação de segurança na região do Mar Báltico nos últimos anos.

Citou especificamente as ações da Rússia na Ucrânia e na Península da Crimeia como a principal razão para começar a reconstruir suas defesas.

O Patriot – um sistema de defesa antiaérea de longo alcance e alta altitude – é capaz de combater mísseis de cruzeiro, mísseis balísticos táticos e também aviões de guerra avançados.

A primeira entrega do sistema de mísseis à Suécia ocorrerá em 2020 e será concluída antes de 2025, segundo a Reuters.

O governo não esclareceu quantos mísseis seriam incluídos inicialmente.

As relações entre a Europa e a Rússia vêm se deteriorando desde que o território ucraniano da Crimeia votou em um referendo em 2014 para se juntar à Rússia. Moscou está sendo pressionada pelo Ocidente por supostamente apoiar os combatentes pró-Rússia no leste da Ucrânia, onde os confrontos deixaram mais de 10.000 mortos.

O governo do presidente da Rússia, Vladimir Putin, também está cauteloso com o aumento das forças armadas do Ocidente perto de suas fronteiras.

O acordo Patriot com a Suécia vem como muitos levantaram preocupações sobre o aumento nas vendas de armas de Washington na Europa.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, vem há muito tempo pressionando os aliados dos Estados Unidos na Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) – a maioria deles composta por Estados-membros europeus – a aumentar seu orçamento militar. Ele até prometeu ajudar países menores da OTAN a comprar armas dos EUA.

Alguns até consideram os esforços de Trump como um dos principais objetivos de seu governo para aumentar as vendas de armas nos EUA.

A Suécia não é membro da OTAN, mas tem laços estreitos com a aliança militar.

presstv


 

URL curta: http://navalbrasil.com/?p=258756

Publicado por em ago 3 2018. Arquivado em TÓPICO II. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta, ou trackbacks a esta entrada

Deixe uma Resposta

CLIQUE SOBRE AS NOTÍCIAS