Síria devolve medalha “Legião de Honra” à França, por não querer prêmio de ‘escravo’ dos EUA

França tinha iniciado o processo para retirar condecoração de Assad na segunda-feira

O prêmio foi devolvido na embaixada da Romênia, que representa os interesses da França em Damasco – Handout / AFP

DAMASCO — A Presidência síria anunciou nesta quinta-feira ter devolvido a Legião de Honra (a mais importante condecoração honorífica francesa) que o então presidente Jacques Chirac concedeu, em 2001, ao presidente sírio, Bashar al-Assad, que afirmou não ficar com uma condecoração de um “regime escravo” dos Estados Unidos, informou o governo da Síria em um comunicado.

“O presidente Bashar al-Assad não tem honra de levar uma medalha de um sistema escravo dos Estados Unidos, que apoia grupos terroristas na Síria, e agride um país membro da ONU numa violação gritante das regras e princípios da lei internacional”, diz o governo em uma publicação na página oficial do Facebook.

Na segunda-feira, o presidente francês Emmanuel Macron informou que a França tinha iniciado o processo para retirar a Legião de Honra do presidente Assad, dois dias depois de Paris participar dos bombardeios contra alvos do regime sírio em conjunto com os Estados Unidos e o Reino Unido.

A condecoração foi devolvida à França por meio da embaixada da Romênia em Damasco, que representa os interesses franceses na Síria, informou a presidência síria em nota. Ainda segundo o governo de Assad, a decisão foi tomada após “a participação da França na agressão tripartite junto com Estados Unidos e Reino Unido contra a Síria em 14 de abril”.

“Para o presidente Assad, não representa nenhuma honra usar uma condecoração entregue por um regime escravo […] dos Estados Unidos, que apoia os terroristas”, acrescentou o texto.

Washington, Paris e Londres efetuaram no amanhecer de sábado bombardeios contra alvos supostamente vinculados ao programa de armas químicas sírias, em represália a um suposto ataque químico lançado em 7 de abril em Douma, que era o último reduto dos rebeldes na Ghouta Oriental, perto de Damasco.

O regime nega qualquer envolvimento no suposto ataque químico.

Em 2001, o então presidente francês Jacques Chirac concedeu ao presidente sírio a Grã-cruz (a mais alta distinção) da Legião de Honra, pouco depois de ter sucedido o pai, Hafez al-Assad.

Desde 2010, um decreto permite retirar mais facilmente esta distinção a um estrangeiro que tenha “cometido atos contrários à honra”.

Por estes motivos, a Legião de Honra foi retirada do ciclista americano Lance Armstrong ou do estilista britânico John Galliano.

AFP


 

Be Sociable, Share!

URL curta: http://navalbrasil.com/?p=258071

Publicado por em abr 20 2018. Arquivado em 1. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta, ou trackbacks a esta entrada

1 Comentário para “Síria devolve medalha “Legião de Honra” à França, por não querer prêmio de ‘escravo’ dos EUA”

  1. enganado

    Ao invés de ganhar essa bosta-medalha da _vassala_ França, eu estaria muito mais honrado se fosse agraciado com Medalha das Batalhas de KURSK e/ou STALINGRADO, coisa que os meganhas dos U$$$raHell NUNCA terão, porque estes vagbundos só lutam contra os mais fracos. Tá igual uma força que conheço muito bem que só serve para entregar a Pátria / defender a riqueza dos ricos / fingirem que cumprem as Leis / defenderem TODOS os Ladrões que roubam em nome da DIREITA que tanto defendem. Ah sim!!! A França que enfiem a ___meRdalinha__ no CX, pois qq medalha da Werhmacht conferida na Frente da RÚSSIA de jun/1941 até mai/1945 é coisa pra macho, e com muita testoterona. Estou aqui passando a mão na bunda das francesas, só para isto que elas servem!!!!!!!

Deixe uma Resposta

CLIQUE ACIMA PARA RECEBER COMENTÁRIOS POR E-MAIL. ATENÇÃO: AO COMENTAR, UTILIZE UM E-MAIL ÚTIL - COOPERE COM NOSSO TRABALHO.

CLIQUE SOBRE AS NOTÍCIAS