Secretário-geral da OTAN avisa sobre consequências da renúncia dos EUA à aliança

O secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, fez um apelo ao presidente eleito dos EUA, Donald Trump, nas páginas do jornal britânico The Guardian.

Resultado de imagem para otan

“Estamos diante de um dos maiores desafios de toda uma geração para a nossa segurança. Agora não é hora de questionar o valor da parceria entre a Europa e os Estados Unidos”, disse Stoltenberg. Durante a campanha eleitoral, Trump chamou a OTAN de “organização obsoleta” e apontou aos países europeus a necessidade de cumprirem as suas obrigações financeiras para com a aliança, ou seja, de aumentarem as despesas militares. Depois destas declarações, nos EUA surgiu a opinião de que Trump encara a aliança de modo cético.

“A OTAN usou o artigo sobre a autodefesa (artigo 5 dos Estatutos da Organização sobre a ajuda de aliados em caso de um ataque contra um dos membros da aliança) apenas uma vez, apoiando os EUA após os ataques de 11 de setembro de 2001. E não foi só um apoio simbólico. A OTAN assumiu a operação no Afeganistão onde combateram dezenas de milhares de soldados. Mais de mil soldados pagaram o mais alto preço na operação, que se tornou uma resposta direta a um ataque contra os Estados Unidos”, disse o secretário-geral citado pelo The Guardian.

Segundo ele, nos últimos anos, a situação de segurança “piorou dramaticamente” devido à ação da Rússia e à instabilidade no Oriente Médio e no Norte de África. A resposta a esses desafios foi o maior aumento da segurança coletiva desde a Guerra Fria, nisso os EUA reafirmaram seu compromisso de proteger a segurança europeia, colocando novas unidades armadas no leste do continente, destacou Stoltenberg. O secretário-geral da aliança admitiu que a força da parceria depende da equidade de distribuição de responsabilidades entre os membros da OTAN. “Hoje em dia, os EUA respondem por quase 70% dos custos militares da aliança e os seus apelos à distribuição mais justa dos encargos são justificados”, acrescentou Jens Stoltenberg.

sputnik


Nota da Redação:

Vá procurar um emprego decente, seu babaca!!

Vive de fazer terror nos seus aliados para ganhar comissão nas vendas de armas! Pode fazer as malas, um novo curriculum, porque antes de conversar com você, Trump já trocou ideias com a equipe de Putin, que num piscar de olhos pode fazer-te sumir do mapa!

Be Sociable, Share!

URL curta: http://navalbrasil.com/?p=251165

Publicado por em nov 13 2016. Arquivado em 1. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta, ou trackbacks a esta entrada

1 Comentário para “Secretário-geral da OTAN avisa sobre consequências da renúncia dos EUA à aliança”

  1. enganado

    Estão todos com o CX na mão como se interessasse a RÚSSIA invadi-los. Já imaginaram a RÚSSIA manter tropas de ocupação na eUSropa? Quem pensa isto ou é doido e/ou então imagina também que a Venezuela vai invadir e ocupar o ___braziUS__. 1o.) Ocupar o __braziUS__ significa deixar que os ANGLO-SIONISTA não roubem o PRE-SAL, como foi outorgado pela RATAZANA e seu exercitUS, aí entra a IV Frota, ou seja, aquela que toma conta da costa do __braziUS__, como a frota da Inglaterra vigia os mares da Colômbia, não sabiam???? Então a eUSropa só é boa mesmo para as tropas comerem a MULHERADA eUSropeia, porque duvido que os rapazes de Berverly Hills saiam dos USraHell para defender qq destes bostas da eUSropa contra a suposta invasão da RÚSSIA. Olha gente! Já ouvi tanta merda da míRdia Ocidental que nada mais me assusta, ou seja, o Sr. PUTIN já invadiu o __braziUS__, segundo a JaCAÍNA PÓschoal. Qq dia destes teremos a invasão da RÚSSIA na face oculta da Lua e em Marte antes do ANGLO-SIONISTA. Ante que me esqueça, vão tomar bem dentro!!!!

Deixe uma Resposta

CLIQUE ACIMA PARA RECEBER COMENTÁRIOS POR E-MAIL. ATENÇÃO: AO COMENTAR, UTILIZE UM E-MAIL ÚTIL - COOPERE COM NOSSO TRABALHO.

CLIQUE SOBRE AS NOTÍCIAS