“Se o Irã não puder exportar petróleo, ninguém no Oriente Médio poderá”, alertou Teerã

"Se o Irã não puder exportar petróleo ninguém no Oriente Médio", alerta Teerã
O Irã ameaçou bloquear o Estreito de Ormuz, uma artéria vital para as remessas de petróleo do Oriente Médio. O alerta vem em resposta aos EUA, que estão tentando cortar as exportações de petróleo iraniano.

Depois de sair de um acordo internacional que restringe o programa nuclear de Teerã, Washington ordenou que os países deixem de comprar petróleo do Irã até 4 de novembro ou enfrentem sanções secundárias dos Estados Unidos. As grandes empresas européias de energia, como a francesa Total, já se retiraram do Irã.

Um helicóptero do porta-aviões USS Abraham Lincoln paira sobre um navio-patrulha iraniano durante um trânsito pelo estreito de Hormuz © Jumana El HelouehPrepare-se para o petróleo de US $ 250 se o Irã bloquear a principal rota de remessa no Oriente Médio, dizem os analistas

O assessor sênior do líder supremo do Irã para assuntos internacionais, Ali Akbar Velayati, disse que seu país vai retaliar.

“A resposta mais transparente, completa e rápida foi dada pelo Sr. Hassan Rouhani, o presidente iraniano, em sua última viagem à Europa. A resposta foi clara: se o Irã não puder exportar petróleo através do Golfo Pérsico, ninguém fará isso ” , disse Velayati, falando no clube de discussão Valdai na Rússia. “Qualquer um exportará, ou ninguém” , acrescentou.

A maior parte do petróleo bruto exportado da Arábia Saudita, do Irã, dos Emirados Árabes Unidos, do Kuwait e do Iraque passa pelo Estreito de Ormuz, uma passagem estreita entre o Golfo Pérsico e o Golfo de Omã.

É também o caminho para quase todas as remessas de gás natural liquefeito (GNL) do maior exportador mundial, o Qatar. Os Emirados Árabes Unidos e a Arábia Saudita têm procurado formas de contornar o estreito, mas não há alternativa real para isso.

Passar pelo estreito tem sido perigoso de tempos em tempos no passado. A Quinta Frota dos EUA, com sede no Bahrein, dedica-se a proteger os navios comerciais na área, mas houve tensões entre Teerã e Washington no estreito. No início de 2008, os EUA disseram que barcos iranianos ameaçaram seus navios de guerra.

Em julho de 2010, um petroleiro japonês ‘M Star’ foi atacado no estreito, e um grupo afiliado à Al-Qaeda reivindicou a responsabilidade. Em maio de 2015, navios iranianos atacaram um petroleiro com bandeira de Cingapura, forçando-o a fugir. O petroleiro havia danificado uma plataforma de petróleo iraniana, afirmou Teerã.

Os analistas disseram à RT que o petróleo poderia chegar a 250 dólares por barril no caso do Irã bloquear o estreito. No entanto, eles lançaram dúvidas sobre o potencial de Teerã de fazer isso de forma eficaz, já que o estreito é altamente militarizado.

rt.com


Nota da Redação:

Nem precisa o Irã colocar suas tropas ou minas nas águas do Golfo de Ormuz, para impedir o tráfego dos petroleiros no local, basta avisar aos barcos civis e comerciais, que a travessia daquele trecho estará temerária, que praticamente 90% das empresas procurarão outra rota, caso contrário, as companhias de seguro não cobrirão qualquer acontecimento com seus clientes!

Simples, assim!

Be Sociable, Share!

URL curta: http://navalbrasil.com/?p=258639

Publicado por em jul 14 2018. Arquivado em 4. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta, ou trackbacks a esta entrada

Deixe uma Resposta

CLIQUE ACIMA PARA RECEBER COMENTÁRIOS POR E-MAIL. ATENÇÃO: AO COMENTAR, UTILIZE UM E-MAIL ÚTIL - COOPERE COM NOSSO TRABALHO.

CLIQUE SOBRE AS NOTÍCIAS