Rússia trouxe equipes iranianas para os S-300 na Síria – EUA e Israel chocados!

 Os EUA e Israel ficaram alarmados ao saber que Moscou havia decidido administrar os mísseis antiaéreos S-300 enviados à Síria com equipes iranianas, segundo o relatório de fontes exclusivas do DEBKAfile.

As agências de inteligência norte-americanas e israelenses que levaram a notícia a Washington e Jerusalém também informaram que os russos haviam começado a transportar os agentes iranianos para a Síria.

Moscou anunciou o fornecimento de mísseis de defesa aérea S-300 para a Síria na esteira de sua disputa com Israel sobre o acidente de avião espião russo Il-20 em 17 de setembro. Mas, no silêncio, Moscou também decidiu que eles seriam operados por Equipes iranianas. E assim a Síria recebeu exatamente o mesmo sistema de defesa aérea que a Rússia vendeu ao Irã dois anos atrás – o S-300PMU-2 – que foi instalado para proteger suas instalações nucleares. Especialistas militares americanos e israelenses foram pegos de surpresa por esta descoberta, mas nossas fontes relataram que os russos estavam dando baterias obsoletas à Síria.

Uma das considerações de Moscou foi que as equipes iranianas que operam os S-300 sediados na Síria estarão em perigo, em vez de equipes russas, no caso de aeronaves dos EUA ou de Israel terem acesso direto aos sistemas.

Para Israel, esse movimento tem aspectos bons e ruins: por um lado, será um alívio para as tripulações aéreas israelenses saberem que, quando vão para as baterias de defesa aérea S-300 da Síria, não precisam temer ferir as tropas russas; mas, por outro, ao administrar as defesas aéreas da Síria, o Irã fortalece ainda mais sua posição militar na Síria, que o governo de Netanyahu se dedica a erradicar. Da mesma forma, o Irã toma a decisão de Moscou como um endosso de sua reivindicação de uma sólida presença militar na Síria.

Logo depois que o DEBKAfile publicou esta revelação na segunda-feira, nossas fontes militares e de inteligência descobriram mais que a Rússia forneceu à Síria três conjuntos de batalhões do S-300, cada um consistindo em oito lançadores com 100 mísseis por batalhão. Todos passaram por grandes reformulações nas fábricas de armas da Rússia. A Rússia, portanto, enviou para a Síria um total de 300 mísseis antiaéreos – embora desatualizados, mas em boas condições.

Em 7 de outubro, o primeiro-ministro Binyamin Netanyahu disse que logo se reunirá com o presidente Vladimir Putin, apesar de não ter sido marcada uma data. Assim, enquanto os dois líderes continuam a sorrir e a aceitar as relações amigáveis, a Rússia continua a chocar, surpreender e exacerbar as tensões com Israel.

DEBKAfile – site sionista


Nota da Redação:

É só pagar pra ver, se os S-300 ‘desatualizados’ fazem o serviço direitinho!

Be Sociable, Share!

URL curta: http://navalbrasil.com/?p=259137

Publicado por em out 11 2018. Arquivado em TÓPICO II. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta, ou trackbacks a esta entrada

3 Comentários para “Rússia trouxe equipes iranianas para os S-300 na Síria – EUA e Israel chocados!”

  1. Antônio

    Vai ser tenso quando uns pontinhos começarem a piscar o engajamento no radar.

  2. Antônio

    Vai ser tenso quando uns pontinhos começarem a piscar o engejamento no radar.

  3. Eduardo

    Israel deveria ter evitado essa guerra na Siria , através do dialogo.
    Agora ficou ruim pra eles. Não deu certo o plano. Lamentavelmente.

Deixe uma Resposta

CLIQUE ACIMA PARA RECEBER COMENTÁRIOS POR E-MAIL. ATENÇÃO: AO COMENTAR, UTILIZE UM E-MAIL ÚTIL - COOPERE COM NOSSO TRABALHO.

CLIQUE SOBRE AS NOTÍCIAS