Rússia rejeita a pedido israelense de criação de uma zona tampão da Síria

O presidente russo, Vladimir Putin (R), encontra-se com o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, na residência do estado Bocharov Ruchei em Sochi, Rússia, 23 de agosto de 2017. (Foto da AFP)
O presidente russo, Vladimir Putin (R), encontra-se com o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, na residência do estado Bocharov Ruchei em Sochi, Rússia, 23 de agosto de 2017. (Foto da AFP)

A Rússia rejeitou uma demanda israelense para criar uma “zona tampão” na Síria, onde as forças aliadas ao governo sírio ficariam proibidas de entrar.

O jornal israelense Haaretz disse em um relatório na sexta-feira que a Rússia havia rejeitado uma demanda israelense para estabelecer uma “zona tampão” na Síria, que se esticava entre 60 e 80 quilômetros do Golan Heights ocupado pelos israelenses.

O relatório disse que Israel exigiu que as forças iranianas, Hezbollah e outras forças pró-Damasco fossem proibidas de entrar nesse espaço.

O Irã não tem forças de combate no terreno na Síria, mas oferece assistência militar consultiva ao governo de Damasco. A Rússia, outro aliado sírio, vem realizando uma campanha de bombardeio aéreo na Síria.

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, viajou no mês passado para a Rússia discutir com o presidente Vladimir Putin suas “preocupações” sobre a crescente influência do Irã na Síria. Na reunião com Putin, na cidade de Sochi, no Mar Negro, no final de agosto, Netanyahu acusou o Irã de tentar “estabelecer uma posição na Síria”.

De acordo com um relatório da Russia Today, Netanyahu foi informado de que Moscou “, que considera o Irã como a chave para resolver a crise [da Síria]”, “notaria os interesses israelenses”, o que provavelmente equivalia a uma demissão diplomática das reivindicações de Israel.

“O Irã é o aliado estratégico da Rússia no Oriente Médio”, disse Putin a Netanyahu.

As testemunhas presentes durante a reunião dizem que, seguindo as petições de Netanyahu ao líder russo, Putin suspirou e disse ao primeiro ministro israelense que seu governo não poderia ajudar.

“Infelizmente, não podemos ajudá-lo aqui”, disse Putin.

A Rússia e o Irã estiveram em estreita coordenação para ajudar a luta antiterrorista do governo sírio.

O relatório Haaretz chegou logo antes da Rússia, Irã e Turquia, que juntos agem como estados garantes em conversas de paz para a Síria, concordaram com os detalhes de uma “zona de escalação” na província ocidental de Idlib, durante as conversações de resolução no Cazaque capital de Astana.

Os três países concordaram em configurar quatro “zonas de escalação” na Síria em maio. Eles já resolveram os detalhes de três das zonas. Eles delinearam o restante na sexta-feira, o segundo dia da última rodada das conversas de Astana.

prestv


 

Be Sociable, Share!

URL curta: http://navalbrasil.com/?p=256311

Publicado por em set 15 2017. Arquivado em 2. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta, ou trackbacks a esta entrada

1 Comentário para “Rússia rejeita a pedido israelense de criação de uma zona tampão da Síria”

  1. enganado

    Como sempre inventaram=USraHell inventaram o ISIS, agora que perderam querem exigir qq porra!!!! Ainda têm acara de pau de ir a MOSCOU impor suas vontades. Então bombardeiem a residência do ASSAD e aguardem os fatos!!!!!

Deixe uma Resposta

CLIQUE ACIMA PARA RECEBER COMENTÁRIOS POR E-MAIL. ATENÇÃO: AO COMENTAR, UTILIZE UM E-MAIL ÚTIL - COOPERE COM NOSSO TRABALHO.

CLIQUE SOBRE AS NOTÍCIAS