Rússia envia lançadores de foguetes pesados para Assad e navios com mísseis Kalibr para o litoral sírio, libanês e israelense

A luz foi derramada na quarta-feira, 16 de maio, sobre as misteriosas intenções da Rússia depois de sua intrigante não-interferência nos confrontos entre israelenses e iranianos na Síria. O presidente Vladimir Putin informou a reunião do alto comando russo em Sochi de duas decisões: “Nossos navios que transportam mísseis de cruzeiro Kalbr serão permanentemente instalados no Mar Mediterrâneo”, informou ele. Eles tomarão posição em frente às costas da Síria, Líbano e Israel.

As fontes militares do DEBKAfile tomam este passo para significar que o comando do exército russo acredita que o confronto militar entre Israel e Irã na Síria não acabou e que mais confrontos ainda estão por vir.

Também foi revelado por fontes militares em Moscou que o  regime do regime de AssadA Divisão Blindada recebeu da Rússia lançadores de foguetes pesados, deliberadamente chamados de Golan-1000, de 500mm de calibre, que podem fornecer três foguetes carregados com 500kg de munição de fragmentação altamente explosiva. Eles têm um alcance de até 6 km e são poderosos o suficiente para derrubar as fortificações do IDF no Golan.

Essas bases fortificadas permaneceram incólumes na barragem de 20 mísseis iranianos do Al Qods em 9 de maio. Então, o que está por trás das manobras de Putin na Síria entre o Irã, Israel e o regime de Assad? A próxima edição da DEBKA Weekly , na sexta-feira, 18 de maio, desvenda este enigma, além de lançar luz sobre as mudanças militares fundamentais na paisagem do Oriente Médio.

debka.com (site sionista)


Be Sociable, Share!

URL curta: http://navalbrasil.com/?p=258288

Publicado por em Maio 17 2018. Arquivado em TÓPICO I. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta, ou trackbacks a esta entrada

Deixe uma Resposta

CLIQUE ACIMA PARA RECEBER COMENTÁRIOS POR E-MAIL. ATENÇÃO: AO COMENTAR, UTILIZE UM E-MAIL ÚTIL - COOPERE COM NOSSO TRABALHO.

CLIQUE SOBRE AS NOTÍCIAS