Rússia culpa Londres por ataque químico na Síria

Moscou diz que o Reino Unido quis criar pretexto para operação para derrubar
Assad.

Rússia culpa Londres por ataque químico na Síria

A Rússia acusou esta sexta-feira agentes britânicos de terem encenado o ataque químico em Douma para justificar uma intervenção militar destinada a derrubar o presidente sírio, Bashar al-Assad. “Temos provas de que o Reino Unido esteve diretamente envolvido em organizar esta provocação”, afirmou Igor Konashenkov, porta-voz do Ministério da Defesa da Rússia.

O ministro russo dos Negócios Estrangeiros, Sergei Lavrov, sublinhou a mesma ideia, mas sem referir claramente o Reino Unido: “Agentes de um país que atualmente está na linha da frente da campanha russofóbica estiveram envolvidos neste acontecimento encenado.”

Karen Pierce, embaixadora britânica na ONU, considerou a acusação “grotesca, bizarra e uma mentira flagrante”, garantindo que o Reino Unido “nunca se envolveria no uso de armas químicas”.

Esta nova querela surge enquanto os EUA estão a deslocar para a Síria uma frota de 12 navios de guerra para um ataque  destinado a punir o uso de armas químicas pelo regime sírio.

O presidente Donald Trump disse na quinta-feira que a operação militar “está para breve”, mas recuou relativamente às 48 horas que referira um dia antes.
Reagindo à ameaça Lavrov afirmou: “Deus não permita que na Síria seja feito algo tão aventureiro como as experiências na Líbia e no Iraque”.

Russos testaram ataque a Skripal
A Rússia fez testes para saber se os puxadores de portas podiam ser usados para ataques com agentes de nervos, revelam documentos da espionagem britânica, segundo os quais os russos vigiavam desde 2013 o email do ex-espião russo Sergei Skripal, envenenado em março.

Governo apoia May
O governo britânico apoia por unanimidade a intenção da PM Theresa May de envolver forças britânicas em ataques na Síria para punir o regime de Bashar al-Assad pelo ataque químico em Douma que fez pelo menos 60 mortos e um milhar de
feridos.

“Nova vaga de migrantes”

O MNE russo, Sergei Lavrov, alertou ontem, sobre o ataque que os EUA e aliados europeus preparam na Síria, que “até mesmo pequenos incidentes levariam a novas vagas de migrantes para a Europa e a outras consequências”.

cmjornal.pt


 

URL curta: http://navalbrasil.com/?p=258005

Publicado por em abr 14 2018. Arquivado em TÓPICO IV. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta, ou trackbacks a esta entrada

Deixe uma Resposta

CLIQUE SOBRE AS NOTÍCIAS