Qual é o objetivo dos exercícios conjuntos da Rússia e China?

O segundo comandante da Marinha da Rússia vice-almirante Aleksandr Fedotenkov comenta os exercícios Cooperação Marítima 2016. Segundo ele, estas manobras ajudam a reforçar a defesa conjunta da Rússia e da China.

Cooperação Marítima, os exercícios conjuntos da Rússia e ChinaOs exercícios navais conjuntos russo-chineses decorreram pela primeira vez no mar Amarelo em abril de 2012. Neles participaram 25 navios e submarinos, 13 aviões, nove helicópteros e destacamentos de forças especiais.

Fedotenkov assinala que os exercícios atuais não se destacam dos outros. “Nós estamos aumentando a base de nossa cooperação, os sistemas de comando e a garantia da clareza das ações dos comandantes de destacamentos”, disse o vice-almirante.

Exercícios defensivos
O segundo comandante da Marinha assinalou que as manobras com a China não se dirigem contra nenhum outro país. Segundo ele, os exercícios são realizados principalmente para defender os interesses dos dois países e garantir a segurança no oceano mundial.
“É muito bom quando dois países, sendo potências grandes e poderosas, cooperam entre si”, manifestou Fedotenkov.

“Esta é uma cooperação para a luta contra a pirataria e para a garantia de segurança marítima”, acrescentou o vice-almirante, assinalando que as manobras têm fins pacíficos. Cooperação Marítima 2016 As manobras de 2016 vão se realizar na China. Do lado russo nelas participarão dois navios-antissubmarino – o Admiral Tributs e o Admiral Vinogradov, a navio de desembarque Peresvet, o rebocador Alatau e navio-tanque Pechenega.

sputnik


 

Be Sociable, Share!

URL curta: http://navalbrasil.com/?p=249693

Publicado por em set 12 2016. Arquivado em 4. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta, ou trackbacks a esta entrada

Deixe uma Resposta

CLIQUE ACIMA PARA RECEBER COMENTÁRIOS POR E-MAIL. ATENÇÃO: AO COMENTAR, UTILIZE UM E-MAIL ÚTIL - COOPERE COM NOSSO TRABALHO.

CLIQUE SOBRE AS NOTÍCIAS