Putin ganha por aclamação e promete um governo “fora do comum”

Tal como esperado, o Presidente foi reeleito com mais de 70% dos votos. Houve denúncias de irregularidades, mas organismo oficial diz que voto correu bem.

Não houve espaço para qualquer surpresa e Vladimir Putin foi reeleito para um quarto mandato presidencial, prolongando a sua liderança por mais seis anos, até 2024, período durante o qual se irá tornar no líder russo com mais longevidade no poder desde Estaline. Ele agradeceu, e começou a delinear os seus planos: “O próximo mandato será fora do comum”.

“A nação precisa de unidade para avançar”, declarou o Presidente, discursando no exterior do Kremlin. Pediu à multidão para “pensar no futuro da nossa pátria” e liderou cânticos de “Rússia, Rússia”, descreve a Associated Press.

Mudanças no Governo “só depois de tomar posse” como Presidente pela quarta vez, disse. E disse não estar a pensar em reformas constitucionais – como a que lhe permitisse concorrer a um quinto mandato, que lhe é vedado hoje pela Lei Fundamental. “Será que vou viver até aos 100 anos?”, brincou.

A expectativa é de que os próximos seis anos sejam os últimos de Putin no poder – a Constituição fixa um limite máximo de dois mandatos consecutivos e Putin já disse que não pretende alterá-la – e é possível que nos próximos tempos se comecem a vislumbrar os primeiros movimentos do processo de sucessão.

A vitória de Vladimir Putin nas eleições deste domingo nunca esteve em causa. O Presidente e o seu círculo próximo mantêm há quase duas décadas um controlo apertado sobre a sociedade civil, o Estado e os meios de comunicação, que não deixa margem para que surja qualquer oposição. Mas naquelas que muitos pensam ser as últimas eleições com Putin, a força do regime também seria avaliada pela participação do eleitorado.

As projecções avançadas pelos canais televisivos mostravam que Putin não só foi reeleito confortavelmente com mais de 70% dos votos, como os russos acudiram em massa, batendo um recorde de participação eleitoral.

Os estrategas do Kremlin tinham apontado para um objectivo conhecido como 70/70 – uma vitória de Putin com mais de 70% dos votos e uma participação acima dos 70%. O cumprimento destas metas dá garantias de que, apesar de estar no poder há quase duas décadas, o apoio popular do Presidente russo não desce. E nem isso falhou.

Segundo as projecções da empresa pública de sondagens VTsIOM, Putin conseguiu 77% dos votos, numas eleições que registaram uma participação de 74% do eleitorado. Em segundo lugar ficou o candidato do Partido Comunista, Pavel Grudinin, com 11% dos votos, e com pouco mais de 2% ficou a jornalista Ksenia Sobchak, uma candidata conotada com a oposição ao Kremlin.

Os resultados batem todos os recordes no histórico pessoal de Putin, que tinha conseguido superar os 70% apenas nas eleições de 2004 – há seis anos alcançou 63%.

Be Sociable, Share!

URL curta: http://navalbrasil.com/?p=257791

Publicado por em mar 19 2018. Arquivado em TÓPICO I. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta, ou trackbacks a esta entrada

Deixe uma Resposta

CLIQUE ACIMA PARA RECEBER COMENTÁRIOS POR E-MAIL. ATENÇÃO: AO COMENTAR, UTILIZE UM E-MAIL ÚTIL - COOPERE COM NOSSO TRABALHO.

CLIQUE SOBRE AS NOTÍCIAS