Putin e Netanyahu se concentram na crise do Curdistão após a manobra bem sucedida do Irã em Kirkuk

O general Sergey Shoigu não foi mais cedo para sair de Israel na quarta-feira, 18 de outubro, do que os chefes do exército iraniano e sírio conversaram em Damasco e Netanyahu estava no telefone para Putin.

O presidente russo, Vladimir Putin, manteve uma conversa telefônica com o primeiro-ministro israelense, Binyamin Netanyahu, o serviço de imprensa do Kremlin, em comunicado, na quarta-feira. “Houve uma discussão aprofundada sobre formas de resolver a crise síria, a situação em torno do programa nuclear do Irã e os resultados do referendo no Curdistão iraquiano”, diz o comunicado.

As fontes do DEBKAfile informam que Netanyahu fez o apelo do ministro da defesa russo, o general Sergey Shoigu, durante os dois dias de conversações com o governo israelense e as cabeças militares, não mostrou nenhuma inclinação para responder as perguntas de Israel sobre esses temas apressados.
O general russo rapidamente percebeu que sua visita a Israel foi fortemente desaprovada em Damasco e Teerã e ambos tomaram medidas para interrompê-lo – primeiro disparando um míssil SA-5 em avião israelense sobre o Líbano e depois com a viagem não programada feita pelo iraniano Chefe de gabinete, Maj. Gen Mohammad Bagheri a Damasco para conversar com seu homólogo sírio, o general Ali Abdullah Ayoub.
Esses movimentos foram destinados a alertar o ministro russo de que o inimigo israelense não deve ser permitido atacar alvos na Síria sempre que entender, e cabe a ele defender os interesses iranianos e sírios em suas conversas em Tel Aviv e não dar para a pressão israelense.
Para evitar cair nesta armadilha, o ministro russo disse a seus anfitriões israelenses que sua visita tinha como objetivo apenas fazer conhecimentos de colegas profissionais em Israel e não tinha agenda política. É relatado que eletronicamente esquivou questões israelenses, indicando que elas deveriam ser endereçadas ao Kremlin.

Netanyahu, portanto, pegou o telefone para o Kremlin assim que o general Shoigu voou e realizou uma discussão aprofundada com o presidente Vladimir Putin, que, segundo nossas fontes, centrou-se na situação no Curdistão iraquiano.

Enquanto a declaração do Kremlin se referia ao “referendo no Curdistão iraquiano” como o tema, os dois líderes, de fato, superaram as ramificações da grande vitória do Irã em Kirkuk e seu impacto no Curdistão.

Ambos entendeu que não só os Estados Unidos, mas também a Rússia e Israel sofreram um grave revés estratégico quando as milícias xi iranianas pro-iranianas, comandadas pelo General de Guardas Revolucionários Qassem Soleimani, levaram a Peshmerga curda a um retiro em pânico de uma série de curdos cidades.
A consequência imprevista é alarmante: o Irã entrinhou em uma região chave do Iraque, além do controle militar da fronteira iraquiana-síria.

Moscou, como Israel, não deseja que o Irã expande sua posição no Iraque e na Síria. A Rússia é especialmente sensível às perdas do Curdistão, depois de fazer um grande investimento nas indústrias de petróleo e gás da KRG.

As fontes militares exclusivas do DEBKAfile relatam outro evento na quarta-feira que pode ou não ser relevante para a debacle do Curdistão.

Na terça-feira, o comando russo na Síria ordenou que as forças lideradas pelo Hezbollah capturassem a cidade oriental de Mayadin, do Estado islâmico, para suspender seu avanço para o leste em direção à fronteira sírio-iraquiana.

Não há informações sobre o motivo desse pedido, seja a pedido de Israel ou sob ameaça israelense para intervir contra um novo avanço do Hezbolah. Certamente, Putin tem interesse em aliviar Irbil de pressão antes de quebrar.

Israel descobriu nos últimos meses que não há ninguém em Washington disposto ou capaz de discutir crises desse tipo, e, portanto, se voltou para Moscou.

debka.com  (site israelense sionista)


Be Sociable, Share!

URL curta: http://navalbrasil.com/?p=256593

Publicado por em out 21 2017. Arquivado em TÓPICO I. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta, ou trackbacks a esta entrada

Deixe uma Resposta

CLIQUE ACIMA PARA RECEBER COMENTÁRIOS POR E-MAIL. ATENÇÃO: AO COMENTAR, UTILIZE UM E-MAIL ÚTIL - COOPERE COM NOSSO TRABALHO.

CLIQUE SOBRE AS NOTÍCIAS