Procurador-geral de Israel ordena investigação criminal contra Netanyahu

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, proferiu um discurso em seu escritório em Jerusalém, Al Qods, em 28 de dezembro de 2016. (Foto Reuters)
O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, proferiu um discurso em seu escritório em Jerusalém, Al Qods, em 28 de dezembro de 2016. (Foto Reuters)

O procurador-geral israelense Avichai Mandelblit aprovou a abertura de uma investigação criminal completa sobre as atividades financeiras do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu em meio a alegações de suborno e fraude.

Netanyahu será investigado após um inquérito policial de nove meses sobre dois assuntos não especificados, e será chamado a prestar provas nos próximos dias, informou a rede de televisão israelense Channel 10, em língua hebráica.

Uma porta-voz anônima do chamado Ministério da Justiça israelense disse em uma declaração que os cheques na matéria “ainda estão em andamento e isso não é confirmação nem negação do que foi alegado”.

“O procurador-geral, a polícia e os promotores estão trabalhando em estreita cooperação e um anúncio público será feito no devido tempo sobre a investigação”, disse ela.

Netanyahu tem sido por muito tempo, objeto do exame minucioso sobre suas transações financeiras.

Mandelblit recentemente ordenou uma investigação sobre as alegações de que Netanyahu aceitou 1 milhão de euros (cerca de US $ 1,1 milhão) do acusado francês fraudador Arnaud Mimran na forma de doações durante sua campanha de 2009.

Em maio, o Comandante Yosef Shapira emitiu um relatório crítico sobre as viagens de Netanyahu no exterior, algumas das quais foram tomadas com sua esposa Sara e filhos, de 2003 a 2005, quando ele era ministro das Finanças de Israel.

O primeiro-ministro israelense também está sob investigação sobre a compra bilionária de três submarinos da Alemanha, onde a mídia relatou “um sério conflito de interesses” por parte de Netanyahu.

Relatos surgiram no mês passado que o advogado pessoal de Netanyahu e um dos confidentes mais próximos, David Shimron, estava representando o fabricante de armas alemão ThyssenKrupp, que está fazendo os submarinos.

O canal 10 revelou mais tarde um email que reivindicou era prova que Shimron usou seu relacionamento próximo com Netanyahu para pressionar para o negócio.

Uma sondagem separada também está em andamento em Israel em acusação de que Sara Netanyahu usou mal os fundos públicos para despesas privadas.

presstv


Nota da Redação:

Se  Bestanyahu quiser se safar, pode colocar a culpa do andamento dessas investigações em Bobama de novo…

Da mesma forma, como Bobama colocou a culpa da derrota da Hillary em Putin!

Be Sociable, Share!

URL curta: http://navalbrasil.com/?p=252280

Publicado por em dez 29 2016. Arquivado em 3. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta, ou trackbacks a esta entrada

Deixe uma Resposta

CLIQUE ACIMA PARA RECEBER COMENTÁRIOS POR E-MAIL. ATENÇÃO: AO COMENTAR, UTILIZE UM E-MAIL ÚTIL - COOPERE COM NOSSO TRABALHO.

CLIQUE SOBRE AS NOTÍCIAS