Presos da Lava Jato foram grampeados ilegalmente, mostra análise da PF

Uma análise feita pela Polícia Federal mostra que foram gravadas 260 horas (cerca de 11 dias) de conversas de presos da Lava Jato de forma ilegal em 2014. Nos áudios, foram identificadas as vozes dos doleiros Alberto Youssef e Nelma Kodama, e do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa

(Foto: Câmara | Lula Marques | Reuters)

Conjur – Uma análise feita pela Polícia Federal mostra que foram gravadas 260 horas (cerca de 11 dias) de conversas de presos da “lava jato” de forma ilegal em 2014. Nos áudios, foram identificadas as vozes dos doleiros Alberto Youssef e Nelma Kodama, e do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa.

O relatório da PF, obtido pelo jornal Folha de S.Paulo, faz parte de uma apuração feita entre 2015 e 2016, depois de Youssef ter encontrado um aparelho dentro da cela e denunciado a escuta ilegal.

O advogado de Alberto Youssef, Antonio Figueiredo Basto, disse ao jornal que não sabia da existência da perícia e que a polícia negou o acesso da defesa às sindicâncias.


Nota da Redação:

É juizeco, podes se esconder com sua licença fora do serviço, mas as denúncias contra seu esquema nojento e criminoso para condenar os réus, não vai ficar impune!

Be Sociable, Share!

URL curta: http://navalbrasil.com/?p=260532

Publicado por em jul 12 2019. Arquivado em TÓPICO I. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta, ou trackbacks a esta entrada

Deixe uma Resposta

CLIQUE ACIMA PARA RECEBER COMENTÁRIOS POR E-MAIL. ATENÇÃO: AO COMENTAR, UTILIZE UM E-MAIL ÚTIL - COOPERE COM NOSSO TRABALHO.

CLIQUE SOBRE AS NOTÍCIAS