Presidente eleito da Argentina, Alberto Fernández diz como foi plano traçado com Peru e México para salvar Evo Morales

Evo Morales só saiu vivo da Bolívia rumo ao exílio no México graças a uma articulação presidentes do México, López Obrador, do Peru, Martín Vizcarra e do presidente eleito da Argentina, Alberto Fernández. Quem revelou os detalhes da operação foi o próprio Fernández. Assista

247 com Fórum – O presidente eleito da Argentina, Alberto Fernández, revelou na noite desta segunda-feira (11) que a saída de Evo Morales da Bolívia só será possível através de uma ação conjunta entre ele e os presidentes do México, López Obrador, e do Peru, Martín Vizcarra. O México concedeu asilo ao ex-presidente boliviano, vítima de um golpe de Estado. Ele mencionou também o presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez, que permitiu o reabastecimento do avião mexicano em seu país

Em discurso feito no lançamento do seu livro “Política e eleições na América Latina”, Fernández dedicou parte do seu discurso ao golpe ocorrido na Bolívia e aproveitou para comentar sobre o asilo de Evo Morales. Fernández conta que, através de uma articulação feita por ele e pelos presidentes do Peru e do México, será possível levar Morales da Bolívia para o solo mexicano.

“Temos que ter uma grande gratidão com o presidente Lopez Obrador. O México está fazendo isso de novo, como aconteceu conosco nos anos 70”, conta o peronista, referindo-se aos asilos concedidos pelo México durante a ditadura do Terrorismo de Estado , na Argentina. “Agradeço a Vizcarra, que abriu o espaço aéreo para o avião que vai buscar Evo”, completa.

Apenas com o apoio do peruano que será possível levar Morales para fora da Bolívia. O espaço aéreo boliviano está fechado, então foi preciso um plano que garantisse a chegada de um avião enviado por López Obrador no Peru para que Morales pudesse decolar.

“Não é um bom dia para nós. Na Bolívia se interrompeu a democracia. E as coisas aconteceram de tal maneira que geraram uma crise social e um enfrentamento enorme que não se sabe onde termina”. afirmou ainda.


Nota da Redação:

Como é possível festejar uma democracia, se um presidente que renuncia tem que correr, ser ajudado a fugir para não ser morto?

Milícias e militares estimulados pelos EUA estavam procurando Evo e se não fosse o rápido auxílio de seus amigos, hoje teríamos a notícia de uma desgraça!

 

Be Sociable, Share!

URL curta: http://navalbrasil.com/?p=261172

Publicado por em nov 12 2019. Arquivado em TÓPICO I. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta, ou trackbacks a esta entrada

Deixe uma Resposta

CLIQUE ACIMA PARA RECEBER COMENTÁRIOS POR E-MAIL. ATENÇÃO: AO COMENTAR, UTILIZE UM E-MAIL ÚTIL - COOPERE COM NOSSO TRABALHO.

CLIQUE SOBRE AS NOTÍCIAS