“O anti-americanismo acabou”, declarou acadêmico russo

“O anti-americanismo acabou. Não porque fosse errado mas precisamente pela razão oposta: porque o próprio povo americano iniciou a sua revolução contra aqueles aspectos dos EUA que todos nós odiávamos.”

Referindo-se à vitória de Donald Trump nas recentes Presidenciais dos Estados Unidos da América, Aleksandr Dugin, académico que até recentemente se encontrava agregado à Universidade Estatal de Moscou – tendo sido afastado após uma campanha internacional levada a cabo contra ele por ativistas ucranianos anti-russos – considera que “o anti-americanismo acabou. Não porque fosse errado mas precisamente pela razão oposta: porque o próprio povo americano iniciou a sua revolução contra aqueles aspectos dos EUA que todos nós odiávamos.”

Dugin, que abordou a vitória de Donald Trump no seu programa televisivo em língua inglesa na emissão do passado dia 11 de Novembro, considera que estamos perante “um evento de extrema importância para toda a ordem mundial”, acrescentando que “a ascensão de Trump, antes de mais e acima de tudo, acaba de modo decisivo com a ordem unipolar. Trump tem rejeitado de modo estreito a hegemonia dos EUA tanto na sua forma mais moderada, na qual o CFR [Council on Foreign Relations] insiste, como na sua forma mais abrupta, tal como os neo-conservadores a defendem. Nestas eleições, os dois principais ‘think tanks’ globalistas americanos uniram fileiras em redor da candidatura de Clinton e colapsaram. Tal significa que a ordem unipolar foi aniquilada não graças à pressão exercida por outros países, mas graças à própria América.”

No dia 12, utilizando a rede social Facebook, o intelectual eurásico a quem muitos atribuem o revivalismo do pensamento geopolítico russo complementou a análise que proferira no seu programa televisivo:

“Agora a elite governante europeia bem como parte da elite russa (a que ainda segue a cartilha liberal) não podem ser acusadas (como antes) de serem demasiado pró-americanas. Doravante podem ser culpadas de serem exactamente aquilo que são: um bando corrupto e perverso de gananciosos ‘banksters’ destruidores de culturas, tradições e identidades. Drenemos o pântano europeu. Já chega de Hollande, Merkel, Bruxelas. Europa aos europeus. Soros e a sua seita devem ser publicamente julgados. Precisamos de um Tribunal de Nuremberga para julgar o liberalismo: a última ideologia política totalitária da Modernidade. Encerremos este capítulo histórico.”

O programa em língua inglesa de Aleksandr Dugin intitula-se “Dugin’s Guideline” e é produzido e emitido pelo canal regional moscovita Tsargrad, contando também com dezenas de milhares de seguidores no Youtube. Sendo um autor extremamente prolífico, tem traduzidas em língua portuguesa várias das suas obras, editadas tanto em Portugal como no Brasil, sendo a mais recente em Portugal “Geopolítica da Rússia Contemporânea” (150pp.; 15€; IAEGCA, 2016) e estando atualmente a decorrer um ‘crowdfunding’ no Brasil tendo em vista a edição de “Putin Versus Putin, Putin Visto da Direita” pela Carvalho Editora em 2017.

port.pravda.ru


 

Be Sociable, Share!

URL curta: http://navalbrasil.com/?p=251182

Publicado por em nov 14 2016. Arquivado em 4. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta, ou trackbacks a esta entrada

Deixe uma Resposta

CLIQUE ACIMA PARA RECEBER COMENTÁRIOS POR E-MAIL. ATENÇÃO: AO COMENTAR, UTILIZE UM E-MAIL ÚTIL - COOPERE COM NOSSO TRABALHO.

CLIQUE SOBRE AS NOTÍCIAS