Nomeação do primeiro ministro pró-Hezbollah no Iraque leva o principal general dos EUA à Bagdá

 

O general de marinha dos EUA Frank McKenzie, comandante do Oriente Médio dos EUA, fez uma visita tranquila a Bagdá na terça-feira, 4 de fevereiro, depois que Mohammed Tawfiq Allawi foi nomeado pelo presidente iraquiano para formar um novo governo iraquiano. Esta foi a primeira visita a Bagdá de um comandante americano de alto escalão desde o assassinato do chefe do Irã Al Qods, Qassem Soleimani, em um ataque aéreo dos EUA no mês passado.

Allawi é conhecido por estar perto do chefe do Hezbollah libanês, Hassan Nasrallah, a quem Teerã confiou consolidar sua influência em Bagdá após o assassinato. Existe, portanto, um alto risco de que o primeiro-ministro iraquiano que esteja se aproximando faça mais do que seus antecessores de curta duração para expulsar as forças americanas do país. O parlamento iraquiano já havia feito essa demanda, mas não era vinculativa para o governo. Allawi, incentivado por Nasrallah, deverá reformular a resolução de uma maneira que force a ação do governo, informaram fontes militares e de inteligência do DEBKAfile.

A missão do general McKenzie em reuniões com os principais generais iraquianos era alertá-los contra o primeiro-ministro que está passando por essa etapa. Ele então viajou para a grande base aérea americana de Ain Al-Asad, perto da fronteira Iraque-Síria. As consequências das reuniões do general McKenzie em Bagdá são intensamente aguardadas antes de se determinar se Washington responderá a uma nova demanda iraquiana de retirar as forças americanas (mais de 5.000 militares) ou continuar a ignorá-la.

O Iraque tem estado em tumulto nos últimos quatro meses por violentas manifestações xiitas contra o governo – principalmente no sul xiita e em Bagdá. Estima-se que 556 foram mortos e milhares foram feridos em ações brutais por bandidos pró-iranianos. Os manifestantes também estão protestando contra a influência iraniana excessiva em Bagdá. O primeiro-ministro Allawi disse publicamente que os manifestantes estavam certos e prometeram atender suas demandas.

No entanto, o chefe do Hizballah agora está comandando o show em Bagdá. Ele está sendo armado por Teerã com a autoridade para intensificar a repressão aos manifestantes e continuar a implantar as poderosas milícias armadas pró-Iraque, contra militares americanos e outros interesses no Iraque, bem como aliados dos EUA, como Israel, por sua Síria.

Debka file (site israelense sionista)


Be Sociable, Share!

URL curta: http://navalbrasil.com/?p=261599

Publicado por em fev 7 2020. Arquivado em TÓPICO I. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta, ou trackbacks a esta entrada

Deixe uma Resposta

CLIQUE ACIMA PARA RECEBER COMENTÁRIOS POR E-MAIL. ATENÇÃO: AO COMENTAR, UTILIZE UM E-MAIL ÚTIL - COOPERE COM NOSSO TRABALHO.

CLIQUE SOBRE AS NOTÍCIAS