Mísseis norte-coreanos caem perto de ilha japonesa

Míssil de longo alcance da Coreia do Norte portando o satélite Kwangmyong 4. 7 de fevereiro de 2016.

Todos os três mísseis balísticos lançados hoje pela Coreia do Norte voaram cerca de 1.000 quilômetros e teriam caído na zona econômica exclusiva do Japão, informou a agência Kyodo citando o Ministério da Defesa do Japão.

Na segunda-feira (5), a Coreia do Norte lançou três mísseis balísticos a partir de província setentrional de Hwanghae em direção do mar do Japão.

Mais cedo a mídia comunicou que mísseis caíram na região da ilha japonesa de Hokkaido. A Direção para a Segurança Nacional do Japão confirmou que na segunda-feira (5) a Coreia do Norte realizou lançamentos de mísseis balísticos em direção do mar do Japão.

O serviço de segurança no mar do Japão comunicou a todos os navios a necessidade de tomar medidas reforçadas de segurança e também pediu que, em caso de serem encontrados pedaços de mísseis, ninguém se aproximasse deles e informasse os especialistas. As autoridades do Japão disseram não disporem até o último momento de informações sobre danos causados a navios ou aeronaves pelos mísseis norte-coreanos.

Um grupo especial do primeiro-ministro trata de recolha e análise de informações ligadas aos lançamentos de mísseis. Segundo as últimas informações, um dos mísseis balísticos caiu no mar a 200-250 km a oeste da ilha de Okushiri, na prefeitura japonesa de Hokkaido.

O Japão já apresentou uma nota de protesto à Coreia do Norte relativamente ao disparo de três mísseis. O protesto foi entregue pelos canais diplomáticos através de Pequim.

RT


 

Be Sociable, Share!

URL curta: http://navalbrasil.com/?p=249562

Publicado por em set 5 2016. Arquivado em 3. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta, ou trackbacks a esta entrada

Deixe uma Resposta

CLIQUE ACIMA PARA RECEBER COMENTÁRIOS POR E-MAIL. ATENÇÃO: AO COMENTAR, UTILIZE UM E-MAIL ÚTIL - COOPERE COM NOSSO TRABALHO.

CLIQUE SOBRE AS NOTÍCIAS