Líder Kim: Armas nucleares da Coréia do Norte impedem outra guerra no país

O deputado norte-americano Ilhan Omar (D-MN) (L) conversa com a presidente da Câmara dos Deputados Nancy Pelosi (D-CA) durante uma manifestação com colegas democratas antes de votar no HR 1, ou People Act, nos degraus orientais dos EUA. Capitólio em 8 de março de 2019 em Washington, DC.  (Foto AFP)

O líder norte-coreano Kim Jong-un participa da 6ª Conferência Nacional de Veteranos de Guerra durante o 67º aniversário do armistício da Guerra da Coréia, na capital, Pyongyang, em 27 de julho de 2020. (Foto de Reuters)

O líder da Coréia do Norte, Kim Jong-un, diz que o país agora tem “poder absoluto” graças às suas armas nucleares, que garantem a segurança do país diante de ameaças de guerra.

“Agora, mudamos para um país que pode se defender de maneira confiável e inabalável contra pressões de alta intensidade e ameaças militares e chantagem por reacionários imperialistas e forças hostis”, disse Kim na segunda-feira.

Ele fez a observação durante uma cerimônia para marcar o 67º aniversário do final da Guerra da Coréia de 1950-53.

“Não haverá guerra nesta terra novamente e nossa segurança e futuro nacionais serão garantidos com firmeza e permanência por causa de nosso impedimento nuclear autodefensivo, confiável e eficaz”, disse Kim.

As declarações do líder norte-coreano ocorrem em meio a negociações paralisadas entre Pyongyang e Washington, que visavam desmantelar os programas nucleares e de mísseis do Norte em troca do alívio das sanções dos Estados Unidos.

Os EUA impuseram rodadas de sanções unilaterais contra o Norte sobre seus programas nucleares e de mísseis desde 2006.

Kim e o presidente dos EUA, Donald Trump, se encontraram três vezes, mas a diplomacia foi gradualmente interrompida devido à recusa de Washington em liberar qualquer uma das duras sanções em troca de medidas de boa vontade de Pyongyang.

No mês passado, a Coréia do Norte  disse que os EUA deixaram Pyongyang sem outra opção a não ser combater suas ameaças nucleares com armas nucleares. Pyongyang disse que o país “fez todos os esforços possíveis, seja através do diálogo ou recorrendo ao direito internacional, mas tudo acabou em vão”.

Nos últimos anos, a Coréia do Norte desenvolveu e testou uma série de armas nucleares e mísseis balísticos que, acredita-se, são capazes de atingir o continente americano.

Presstv


Nota da Redação:
É óbvio que o bom seria, se mundo ficasse livre das armas nucleares; todavia, o problema não são as armas, mas países economicamente e militarmente mais fortes, que querem impor suas políticas aos demais, e quem não obedece eles impõem a violência…
Nesse caso, a Coreia do Norte faz muito bem e ter suas armas nucleares de proteção, pois é a única forma dos EUA respeitarem o pequeno país e não tentarem invadi-lo!
Be Sociable, Share!

URL curta: http://navalbrasil.com/?p=262338

Publicado por em jul 28 2020. Arquivado em TÓPICO I. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta, ou trackbacks a esta entrada

Deixe uma Resposta

CLIQUE ACIMA PARA RECEBER COMENTÁRIOS POR E-MAIL. ATENÇÃO: AO COMENTAR, UTILIZE UM E-MAIL ÚTIL - COOPERE COM NOSSO TRABALHO.

CLIQUE SOBRE AS NOTÍCIAS