Irã pensa em produzir submarinos movidos a energia nuclear, diz chefe da Marinha

O deputado norte-americano Ilhan Omar (D-MN) (L) conversa com a presidente da Câmara dos Deputados Nancy Pelosi (D-CA) durante uma manifestação com outros democratas antes de votar no HR 1, ou People Act, nos degraus orientais dos EUA. Capitólio em 8 de março de 2019 em Washington, DC.  (Foto AFP)

Uma foto de arquivo do submarino iraniano do Fateh

O comandante da Marinha do Irã diz que a força planeja construir submarinos movidos a energia nuclear capazes de operar em águas internacionais por longos períodos de tempo, em meio às crescentes ameaças que o país enfrenta do mar.

O contra-almirante Hossein Khanzadi destacou na quinta-feira as capacidades dos submarinos movidos por reatores nucleares em comparação aos modelos convencionais, dizendo que a propulsão nuclear permite que a embarcação permaneça em alto mar por meses e a livra da necessidade de reabastecimento frequente.

Ele disse que o plano está alinhado com a agenda defensiva do país, acrescentando que muitos países, incluindo os EUA, estão usando submarinos movidos a energia nuclear.

“Seria negligência por parte do Irã se não considerar o uso de submarinos com propulsão nuclear”, disse ele. “Portanto, estamos pensando sobre isso.”

“Essa capacidade doméstica existe no Ministério da Defesa em relação à produção de submarinos maiores que o Fateh e, certamente, o desenvolvimento da propulsão submarina está na agenda da Marinha”, acrescentou.

Fateh (Conqueror) é uma classe iraniana de submarinos semi-pesados ​​que pode operar por cinco semanas a uma profundidade submersa de 200 metros.

A embarcação de quase 600 toneladas está equipada com torpedos e minas navais, além de mísseis de cruzeiro.

Em outros comentários, Khanzadi enfatizou que a posição do Irã sobre a energia nuclear é clara e que o líder da Revolução Islâmica, o aiatolá Seyyed Ali Khamenei, destacou em muitas ocasiões a natureza pacífica das atividades nucleares do país.

Além disso, acrescentou, o Irã exige o programa nuclear pacífico, diante de várias ameaças em todo o país.

O comandante disse que o Irã tem o direito de usar a energia nuclear para fins pacíficos, conforme as convenções internacionais.

As Forças Armadas precisam de equipamentos para manter a paz e a segurança, disse o chefe da Marinha iraniana, observando, no entanto, que “a paz não seria consolidada se não houvesse dissuasão e preparação para a defesa”.

Presstv


 

Be Sociable, Share!

URL curta: http://navalbrasil.com/?p=261856

Publicado por em abr 16 2020. Arquivado em 1. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta, ou trackbacks a esta entrada

Deixe uma Resposta

CLIQUE ACIMA PARA RECEBER COMENTÁRIOS POR E-MAIL. ATENÇÃO: AO COMENTAR, UTILIZE UM E-MAIL ÚTIL - COOPERE COM NOSSO TRABALHO.

CLIQUE SOBRE AS NOTÍCIAS