Irã nega transferência de mísseis ao Iêmen como acusa a A. Saudita

 

O porta-voz da coalizão liderada pela Arábia Saudita, coronel Turki al-Malki, exibe destroços de mísseis durante uma coletiva de imprensa em Riad, na Arábia Saudita, em 26 de março de 2018. (Foto: Reuters)
O porta-voz da coalizão liderada pela Arábia Saudita, coronel Turki al-Malki, exibe destroços de mísseis durante uma coletiva de imprensa em Riad, na Arábia Saudita, em 26 de março de 2018. (Foto: Reuters)

O Corpo de Guardas da Revolução Islâmica (IRGC) rejeitou as acusações sauditas de que o Irã está fornecendo mísseis ao movimento Houthi Ansarullah, do Iêmen, dizendo que tais alegações visam desviar a atenção dos crimes de guerra de Riad no Iêmen.

O comandante-adjunto para Assuntos Políticos do IRGC, Brigadeiro General Yadollah Javani, disse à agência de notícias Tasnim na terça-feira que todas as rotas para enviar armas ao Iêmen estão bloqueadas enquanto o país permanece sob um bloqueio saudita total.

A coalizão liderada pelos sauditas, que está envolvida em uma sangrenta campanha militar contra o Iêmen, mostrou destroços do que afirmou ser fragmentos de mísseis balísticos fornecidos aos Houthis pelo Irã.

“Os mísseis lançados contra território saudita foram contrabandeados do Irã”, disse o porta-voz da coalizão Turki al-Malki na segunda-feira, alertando que a aliança reserva “o direito de responder contra o Irã na hora certa e no lugar certo”.

O comandante do IRGC disse ainda que “os sauditas, com a ajuda dos americanos, sionistas e alguns outros governos regionais reacionários, vêm cometendo grandes crimes e atacando a nação oprimida do Iêmen nos últimos três anos”.

Portanto, a fim de desviar a atenção pública de toda a região e do mundo dessas atrocidades, eles fabricam várias reivindicações, entre elas a transferência de armas do Irã ao Iêmen para reforçar o movimento Houthi.

Javani acrescentou que a Arábia Saudita também está procurando encobrir seus fracassos embaraçosos no Iêmen ao nivelar tais acusações.

Ele enfatizou ainda que a nação iemenita está firme contra a agressão saudita e alcançou a capacidade de produzir suas próprias armas defensivas, incluindo mísseis.

“Esta é uma conquista inconcebível para os sauditas”, disse o general do IRGC.

Na segunda-feira, o Irã rejeitou as alegações do Reino Unido sobre o fornecimento de mísseis pela República Islâmica para os combatentes iemenitas do Houthi e responsabilizou a Grã-Bretanha por crimes de guerra no país.

A Arábia Saudita e seus aliados lançaram a guerra no Iêmen em março de 2015. A campanha militar matou e feriu mais de 600.000 civis, de acordo com os últimos dados divulgados pelo Ministério dos Direitos Humanos do Iêmen. Isso também levou a uma terrível crise humanitária no estado da Península Arábica.

Vários países ocidentais, os EUA e o Reino Unido em particular, são acusados ​​de serem cúmplices da agressão liderada pelos sauditas no Iêmen, já que fornecem ao regime de Riad armas avançadas e equipamentos militares.

Presstv


 

Be Sociable, Share!

URL curta: http://navalbrasil.com/?p=257854

Publicado por em mar 27 2018. Arquivado em TÓPICO I. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta, ou trackbacks a esta entrada

1 Comentário para “Irã nega transferência de mísseis ao Iêmen como acusa a A. Saudita”

  1. enganado

    Atacar militarmente vizinhos é coisa de __judeu$$$__, estão aí já atacados por I$$$$rael : Jordânia / Iraq / Líbano / Somália / Egito / Tunísia / Líbia / Cisjordânia / Gaza / SÍRIA / agora o Yêmen ((via indireta)) . . . etc; isto fora o roubo de riquezas minerais. Aliás coisas usuais de norte-americanos_judeus_eUSropeus. Estes são as Maravilhas do Mundo Ocidental.

Deixe uma Resposta

CLIQUE ACIMA PARA RECEBER COMENTÁRIOS POR E-MAIL. ATENÇÃO: AO COMENTAR, UTILIZE UM E-MAIL ÚTIL - COOPERE COM NOSSO TRABALHO.

CLIQUE SOBRE AS NOTÍCIAS