Irã e Venezuela inauguram vôo direto em meio às sanções dos EUA

 

Um avião Airbus A340 da Mahan Air é visto no Aeroporto Internacional Simon Bolivar, nos arredores de Caracas, na Venezuela, em 8 de abril de 2019. (Foto: Reuters)
Um avião Airbus A340 da Mahan Air é visto no Aeroporto Internacional Simon Bolivar, nos arredores de Caracas, na Venezuela, em 8 de abril de 2019. (Foto: Reuters)

A segunda maior companhia aérea do Irã, a Mahan Air, lançou vôos diretos para a capital venezuelana, Caracas, marcando um novo fortalecimento dos laços bilaterais à medida que os EUA apertam os parafusos das sanções em ambos os países.

O avião levou autoridades do Ministério do Exterior e delegados da Mahan Air, que estão visitando Caracas para discutir a manutenção de vôos regulares entre os dois países, disse o porta-voz da Organização de Aviação Civil do Irã, Reza Jafarzadeh.

O vôo direto de 16 horas desfere um golpe nos esforços dos EUA para isolar o Irã e a Venezuela, que cultivaram laços estreitos nos últimos anos em sua oposição compartilhada à “hegemonia americana”.

É também um impulso para a tentativa da Mahan Air de se libertar de uma rede de sanções americanas contra a companhia aérea, acusada por Washington de fornecer apoio financeiro e outros para o Corpo de Guardas da Revolução Islâmica (IRGC) do Irã.

Os Estados Unidos impuseram sanções à empresa em 2011. A França e a Alemanha proibiram os voos da companhia no início deste ano, aparentemente sob pressão dos EUA.

PressTV-France proíbe a Mahan Air, do Irã, sob pressão dos EUA

PressTV-France proíbe a Mahan Air, do Irã, sob pressão dos EUA

A França proíbe os vôos do Irã Mahan Air dentro e fora do país sob forte pressão dos EUA.

Em maio, os Estados Unidos impuseram novas sanções contra nove indivíduos e empresas iranianas e turcas, bem como diversas entidades que fornecem bens e serviços a quatro companhias aéreas iranianas.

As sanções anunciadas pelo Departamento do Tesouro dos EUA visavam as entidades que cooperavam com a Mahan Air, a Caspian Air, a Meraj Air e a Pouya Air, do Irã.

Uma autoridade da Casa Branca reagiu na segunda-feira ao lançamento de vôos diretos entre o Irã e a Venezuela. “Do nosso ponto de vista, não há claramente nenhuma razão comercial para estabelecer este voo neste momento”, disse o funcionário não identificado.

Nas últimas semanas, os Estados Unidos restringiram as sanções contra a Venezuela, que está mergulhada em uma crise política em meio a uma pressão da oposição apoiada pelo Ocidente para derrubar o governo democraticamente eleito do presidente Nicolas Maduro.

Na sexta-feira, Washington impôs sanções a embarcações e empresas pertencentes ou operadas pela petroleira estatal Petroleos de Venezuela, com o objetivo de sufocar uma oferta crucial de petróleo bruto para a ilha sul-americana.

O Irã enfrenta sanções americanas ainda mais severas, impostas para enfraquecer a economia do país. O país apoia o presidente Maduro junto com a China, Rússia, Turquia, Cuba e outros países contra o golpista Juan Guaido, apoiado pelos EUA.

Presstv


 

Be Sociable, Share!

URL curta: http://navalbrasil.com/?p=260013

Publicado por em abr 9 2019. Arquivado em TÓPICO II. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta, ou trackbacks a esta entrada

Deixe uma Resposta

CLIQUE ACIMA PARA RECEBER COMENTÁRIOS POR E-MAIL. ATENÇÃO: AO COMENTAR, UTILIZE UM E-MAIL ÚTIL - COOPERE COM NOSSO TRABALHO.

CLIQUE SOBRE AS NOTÍCIAS