Guardian: 42% das mensagens em grupos bolsonaristas nas eleições eram falsas

Levantamento feito pelo jornal britânico de cerca de 12 mil mensagens repercutidas em cerca de 300 grupos de WhatsApp, com base em dados da UFMG, conclui que as fake news elegeram Jair Bolsonaro

Estudo do Guardian revela dados sobre fake news do bolsonarismo
Estudo do Guardian revela dados sobre fake news do bolsonarismo (Foto: Arte: Brasil 247)

Que Jair Bolsonaro foi eleito à presidência com forte ajuda das fake news disseminadas por grupos de direita em grupos de WhatsApp, já era de conhecimento público. Um levantamento feito pelo jornal britânico The Guardian, que publicou uma reportagem sobre o tema nesta quarta-feira 30, no entanto, traz dados mais precisos e essenciais.

O estudo analisou cerca de 12 mil mensagens repercutidas em cerca de 300 grupos de WhatsApp, com base em dados do WhatsApp Monitor, ferramenta desenvolvida pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), e concluiu que 42% das mensagens compartilhadas pela direita eram notícias falsas. Por outro lado, apenas 3% das mensagens da esquerda eram falsas.

Segundo o Guardian, havia quatro categorias entre as mentiras da extrema-direita, sendo 48% relacionadas com teorias sobre fraude em urnas eleitorais, 19% sobre a facada sofrida por Bolsonaro, 16% tratavam de “desmentidos” de supostas matérias da grande mídia e do establishment e 14% miravam ativistas e lideranças da esquerda, recorrendo ao anti-feminismo e à LGBTfobia.

247


Nota da Redação:

Na época da campanha presidencial, todos lembram, houve uma chuva cerrada de mensagens falsas no Whatsapp e no Facebook, todas distribuídas pelo bunker de Bolsonaro…, todos sabem que ele ganhoua eleição dessa forma, na fraude!

Be Sociable, Share!

URL curta: http://navalbrasil.com/?p=261093

Publicado por em out 30 2019. Arquivado em TÓPICO I. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta, ou trackbacks a esta entrada

Deixe uma Resposta

CLIQUE ACIMA PARA RECEBER COMENTÁRIOS POR E-MAIL. ATENÇÃO: AO COMENTAR, UTILIZE UM E-MAIL ÚTIL - COOPERE COM NOSSO TRABALHO.

CLIQUE SOBRE AS NOTÍCIAS