General diz que Brasil não cogita intervir na Venezuela nem fechar fronteira

Indicado para ser o ministro da Defesa no governo de Jair Bolsonaro, o general Augusto Heleno afirmou nesta segunda-feira (5) que não existe a intenção de interferir nos assuntos internos da Venezuela ou de fechar a fronteira entre Roraima e o país vizinho para impedir a entrada de imigrantes.

Heleno elogiou o trabalho humanitário que as Forças Armadas têm feito na recepção aos imigrantes e disse que não existe a ideia no governo de uma intervenção na Venezuela.

“Em termos do que está se colocando, de ingerência nos assuntos da Venezuela, o próprio presidente já disse que não é o caso. Nós temos preceitos constitucionais que regulam isso”, afirmou o general.

Heleno ressaltou ainda que não há como fechar a fronteira entre os dois países, como quer o governo de Roraima, apesar de admitir que o número de venezuelanos entrando no país é maior que a capacidade do Estado.

“Fechamento de fronteira, quem conhece a fronteira da Amazônia sabe que não vai fechar. É uma proposta que não é realizável, é utópica”, disse.

Reuters


Nota da Redação:

Chegou a hora de desfazer as promessas e manifestações de campanha do asqueroso, de invadir a Venezuela para libertar o povo e mais coisa aberrantes na diplomacia e política externa, que o grupo de eleição cansou de propagar e o povo lesado acreditou, porque quis.

Be Sociable, Share!

URL curta: http://navalbrasil.com/?p=259275

Publicado por em nov 6 2018. Arquivado em TÓPICO I. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta, ou trackbacks a esta entrada

Deixe uma Resposta

CLIQUE ACIMA PARA RECEBER COMENTÁRIOS POR E-MAIL. ATENÇÃO: AO COMENTAR, UTILIZE UM E-MAIL ÚTIL - COOPERE COM NOSSO TRABALHO.

CLIQUE SOBRE AS NOTÍCIAS