Fracassam em todo o Brasil as manifestações dos coxinhas

 

Foto: Reprodução

O patético fim dos "coxinhaços"O patético fim dos “coxinhaços”

Cerca de 600 pessoas se reuniram em Brasilia, perto de 2000 no Rio de Janeiro (segundo os organizadores) e o ato de São Paulo com baixíssima adesão, ainda sem números divulgados. A dinâmica nacional dos atos é a mesma dessas cidades, com pouca adesão e muitas cidades com cancelamento dos “protestos”.

Depois de dois anos disputando o protagonismo nas manifestações, com apoio fundamental da mídia comercial e dos setores mais abastados da classe média, tendo como marco os atos ultra-reacionários do dia 15 de março de 2015, quando os gritos de impeachment de Dilma, presidenta legitimamente eleita, eram combinados com colunas em defesa de intervenção militar no Brasil, a manifestação da direita truculenta ontem fez fiasco absoluto nas ruas.

O 15 de março de 2017 marcou definitivamente a volta dos movimentos sociais como protagonistas das verdadeiras manifestações populares nas ruas de todo o país.

A força das mobilizações que ocorreram no dia 15 contou com protestos coordenados pelos movimentos sociais e centrais sindicais de maneira unitária, com pautas contra as reformas de Temer e em defesa de direitos.

Foram 500 a 700 mil pessoas pelo país, com destaque para os 200 mil na Avenida Paulista, e indicaram a força da unidade dos trabalhadores.

Diversos movimentos sociais e partidos políticos de esquerda, centrais sindicais e sobretudo a unidade dos trabalhadores fez com que a classe trabalhadora voltasse, de maneira organizada e coesa, às ruas, com o apoio da população, que viu com simpatia as greves, paralisações e mobilizações contra a Reforma da Previdência por todo o Brasil.

*Diógenes Júnior é estudante, trabalha na Comunicação da CTB Educação, é pesquisador independente, militante do PCdoB, ativista dos Direitos Humanos

Be Sociable, Share!

URL curta: http://navalbrasil.com/?p=254419

Publicado por em mar 28 2017. Arquivado em 4. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta, ou trackbacks a esta entrada

Deixe uma Resposta

CLIQUE ACIMA PARA RECEBER COMENTÁRIOS POR E-MAIL. ATENÇÃO: AO COMENTAR, UTILIZE UM E-MAIL ÚTIL - COOPERE COM NOSSO TRABALHO.

CLIQUE SOBRE AS NOTÍCIAS