Forças dos EUA no O. Médio se mudaram para fugir do alcance dos mísseis iranianos – Israel revisa suas defesas

Os EUA, como Israel, não têm resposta adequada para os mísseis de cruzeiro do Irã e a guerra de drones. Este foi o subtexto do aviso do primeiro-ministro Binyamin Netanyahu na segunda-feira, 28 de outubro, de que Teerã está lançando esses mísseis contra Israel no Iêmen, além do Iraque, Síria e Líbano, em uma entrevista coletiva com o secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnunchin.

Essa lacuna alarmante nas defesas dos EUA e de Israel surgiu à luz no ataque iraniano de 14 de setembro à infra-estrutura de petróleo saudita. Isso levou as forças armadas dos EUA a começar a remover elementos sensíveis fora de alcance, relatam fontes militares do DEBKAfile.

A operação saudita revelou a audácia do Irã em ir para um grande centro de petróleo saudita, mas também a precisão inesperada de suas armas, a capacidade até então desconhecida de atingir alvos com precisão de 5 a 10 m, como Netanyahu enfatizou na segunda-feira.

As novas capacidades do Irã forneceram o contexto para o anúncio da Marinha dos EUA, em 25 de outubro, de que o USS Abraham Lincoln Carrier Strike Group havia sido transferido do Golfo para o Mar da Arábia. Esse movimento reduziu a capacidade dos caças-bombardeiros F / A-18 em seus decks de voar para lá e voltar por alcançar um alvo na costa iraniana a apenas 800 km de distância. A ameaça ao poderoso grupo de ataque dos EUA foi considerada real o suficiente para o comando militar dos EUA renunciar a manter todas as partes do Irã à vista.

O mesmo raciocínio levou o USCOMCOM a começar a esvaziar seus postos de comando da Força Aérea na Base Aérea Al-Udeid, no Catar, para realocação em uma base na Arábia Saudita central. Um golpe iraniano direto pode prejudicar os centros de comando e inteligência dos EUA no Catar.

A tranquilizante declaração das IDF na noite de segunda-feira de que os sistemas de defesa antimísseis de Israel estavam sendo revisados ​​para atender às novas ameaças foi oportuna. Também não fazia sentido, na medida em que garantisse que havia sido encontrada uma resposta para os mísseis de cruzeiro do Irã, seja por Israel ou mesmo pelos Estados Unidos.

Após intensa cooperação com a Agência de Defesa de Mísseis dos EUA por décadas e gastando dezenas de bilhões de dólares para desenvolver o sistema de defesa de mísseis de quatro camadas de Israel, ambos são subitamente surpreendidos pela vulnerabilidade às novas ferramentas de guerra do Irã. Os comentários de Netanyahu na segunda-feira relacionaram-se à sua revelação anterior de que Israel precisará gastar urgentemente vários bilhões de dólares a mais para atender às novas capacidades desenvolvidas por Teerã.

Debka.com – (site sionista)


Be Sociable, Share!

URL curta: http://navalbrasil.com/?p=261103

Publicado por em out 31 2019. Arquivado em TÓPICO I. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta, ou trackbacks a esta entrada

Deixe uma Resposta

CLIQUE ACIMA PARA RECEBER COMENTÁRIOS POR E-MAIL. ATENÇÃO: AO COMENTAR, UTILIZE UM E-MAIL ÚTIL - COOPERE COM NOSSO TRABALHO.

CLIQUE SOBRE AS NOTÍCIAS