EUA fabricando falsas evidências para quebrar o acordo nuclear com o Irã

A Agência Internacional de Energia Atômica confirmou mais uma vez que o Irã está a cumprir os compromissos assumidos no âmbito do acordo nuclear de 2015 com o grupo de países P5 + 1. O diretor-geral da IAEA, Yukiya Amano, disse que o órgão está monitorando o programa nuclear do Irã através do “regime mais robusto” de verificação. 

Isso levanta questões sobre se os funcionários dos EUA acabarão com sua retórica anti-iraniana e deixarão de pedir a Teerã para abrir suas instalações militares para inspeções. A seguir, há uma sinopse de uma entrevista. A imprensa TV conduziu com Richard Becker, com a ANSWER Coalition, e Jim Walsh, com o Programa de Estudos de Segurança do MIT, sobre o último relatório da AIEA.

Jim Walsh sustenta que as confirmações da AIEA basicamente não podem desencadear qualquer alteração na posição de Washington em relação ao programa nuclear do Irã, porque com base na legislação dos EUA, a administração deve verificar de forma independente o cumprimento pelo Irã do acordo nuclear, conhecido como Plano de Ação Conjunto Conjunto.

“Nos Estados Unidos, há leis sobre a JCPOA e uma dessas leis exige que o presidente ateste o cumprimento a cada 90 dias, o que é uma fonte de problema agora. E, infelizmente, por essa legislação, penso que a cada 3 meses ou mais, isso vai se espalhar”, observou Walsh.

Ele acrescentou ainda que o presidente Donald Trump foi o principal crítico do acordo nuclear com o Irã e, portanto, o mundo não deve se surpreender ao ver os EUA se retirarem do acordo no futuro próximo.

“O presidente, contra seus conselheiros, vem fazendo ruídos sobre a desertificação e a retirada. Mas eu quero enfatizar que seus membros do gabinete e seus funcionários recomendaram que continue certificando que o Irã está em conformidade”, argumentou o analista, acrescentando que O presidente Trump às vezes ignora completamente o conselho de seus funcionários.

A administração do Trump apenas avaliou relutantemente a conformidade do Irã duas vezes antes, mas está procurando maneiras de se retirar dela. Washington tem procurado pressionar a AIEA para que solicite acesso a sites militares iranianos. O Irã diz que qualquer inspeção de suas instalações militares está fora de questão.

A captura de imagem mostra  Richard Becker (L), com a Associação ANSWER e Jim Walsh, com o Programa de Estudos de Segurança do MIT, no programa “The Debate” da Press TV em 11 de setembro de 2017. 

Enquanto isso, Richard Becker, o outro painelista do show, sugeriu que o Irã e outras partes do acordo nuclear apresentassem uma alternativa ao JCPOA, porque a história mostrou que os políticos dos EUA não permanecem leais aos acordos internacionais há muito tempo.

Claramente, a administração Trump está tentando fabricar evidências falsas em uma tentativa de dar aos EUA a justificativa para retirar o JCPOA, sublinhado Becker.

“Eles não acharam isso. Mas isso não significa que eles não querem fabricá-lo da mesma forma que o governo Bush fez em 2002”, acrescentou o analista, aparentemente referente à falsa inteligência sobre o Iraque possuindo armas de destruição em massa que levou à invasão do país.

“Isso não seria nada de novo, é claro, para os Estados Unidos. Você pode perguntar aos nativos americanos do continente. Havia mais de 300 tratados que os Estados Unidos assinaram com eles com diferentes pessoas em todo o continente e cada um deles estava quebrado “, lembrou ele.

O Irã e os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança das Nações Unidas – Estados Unidos, França, Grã-Bretanha, Rússia e China -, mais a Alemanha assinaram o acordo nuclear em 14 de julho de 2015 e começaram a implementá-lo em 16 de janeiro de 2016.

Sob a JCPOA, o Irã comprometeu-se a colocar limitações em seu programa nuclear em troca da remoção de sanções relacionadas a armas nucleares.

Be Sociable, Share!

URL curta: http://navalbrasil.com/?p=256285

Publicado por em set 12 2017. Arquivado em 2. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta, ou trackbacks a esta entrada

1 Comentário para “EUA fabricando falsas evidências para quebrar o acordo nuclear com o Irã”

  1. enganado

    Repetindo pela culhonésima: ___ “”” Desde qdo os ANGLO_SIONISTAS cumprem os Acordos assassinados pelos mesmos??? “”” ___ . Resposta::: NUNCA! NUNCA! NUNCA! NUNCA! NUNCA! NUNCA! NUNCA! NUNCA! NUNCA! NUNCA! NUNCA! NUNCA! NUNCA! NUNCA! NUNCA! NUNCA! . . . . . Lá só têm FDP´s, basta ver como exemplo o ___ ladrão-apatrida-juiz cerJio mO(U)RO ___ . Mais FDO não cabe dentro, é baixinho e tem a vozinha de mulher.

Deixe uma Resposta

CLIQUE ACIMA PARA RECEBER COMENTÁRIOS POR E-MAIL. ATENÇÃO: AO COMENTAR, UTILIZE UM E-MAIL ÚTIL - COOPERE COM NOSSO TRABALHO.

CLIQUE SOBRE AS NOTÍCIAS