EUA acusam China de minar a base industrial de defesa do país

 

Estudo realizado pelo Pentágono citado pela revista Foreign Policy com fontes da administração do presidente Donald Trump, afirma que a China usa o monopólio de certos recursos naturais para “minar a base industrial da defesa dos EUA”.

“A China organizou deliberadamente sua exportação de recursos e sua política comercial na indústria manufatureira para minar a liderança dos EUA nos setores mais importantes”, afirmam os autores.

O estudo cita como exemplo a situação do perclorato de amônio, um composto essencial para o combustível de mísseis balísticos estratégicos e intercontinentais. A China, que controla a maior parte da oferta global dessa substância, vende-a a “preços artificialmente baixos”, prejudicando o mercado dos fornecedores norte-americanos, que são forçados a desistir do negócio, esclarece o estudo.

Espera-se que o documento seja publicado em breve.

As relações entre os EUA e a China deterioraram-se acentuadamente este ano, quando eclodiu uma guerra comercial entre os dois países. Desde o início de abril, Washington introduziu novas tarifas de importação, às quais a China respondeu proporcionalmente, apesar dos acordos firmados em maio.

A insatisfação dos EUA é causada pelo desequilíbrio da balança comercial entre os dois países, que, segundo as autoridades norte-americanas, é de US$ 500 bilhões (R$ 1,9 trilhão) a favor da China.

Além disso, Washington impôs sanções ao departamento de treinamento de tropas e suprimentos da Comissão Militar Central da China e ao chefe do departamento, Li Shufu. A Casa Branca explicou que as medidas restritivas estão sendo introduzidas por causa da cooperação com a estatal russa Rosoboronexport, especificamente devido à aquisição de aviões Su-35 e sistemas de defesa antiaérea S-400.

Brasil247/Sputnik


 

Be Sociable, Share!

URL curta: http://navalbrasil.com/?p=259069

Publicado por em out 3 2018. Arquivado em TÓPICO I. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta, ou trackbacks a esta entrada

Deixe uma Resposta

CLIQUE ACIMA PARA RECEBER COMENTÁRIOS POR E-MAIL. ATENÇÃO: AO COMENTAR, UTILIZE UM E-MAIL ÚTIL - COOPERE COM NOSSO TRABALHO.

CLIQUE SOBRE AS NOTÍCIAS