Embaixador da China nos EUA: ‘Soberania não é uma moeda de troca’

 

O embaixador da China nos Estados Unidos nessa quarta-feira (15) disse que a China nunca negociaria com Washington sobre questões envolvendo sua soberania nacional ou integridade territorial. A declaração soou como recado ao presidente-eleito dos EUA, Donald Trump que tem desafiado a paciência chinesa com telefonema à presidente de Taiwan, Tsai Ing-wen e postando tweets agressivos contra o país, que acusa de concorrência desleal desde a campanha presidencial.

Falando com executivos das principais empresas dos EUA, o embaixador Cui Tiankai, disse que Pequim e Washington precisam trabalhar para fortalecer seu relacionamento, informou a agência de notícias Reuters.

“A base política das relações entre a China e os EUA não deve ser prejudicada, deve ser preservada. E as normas básicas das relações internacionais devem ser observadas, não ignoradas, certamente não devem ser vistas como algo que você pode negociar e, de fato, a soberania nacional e integridade territorial não são pedaços de barganha”, declarou.

Entenda a desavença diplomática A equipe do presidente eleito informou no início do mês que o republicano conversou com a presidente de Taiwan, Tsai Ing-wen. Durante a conversa, “eles mencionaram os estreitos laços econômicos, políticos e de segurança” entre Taiwan e os Estados Unidos.  A ligação de 10 minutos foi a primeira conversa formal entre um líder dos Estados Unidos e de Taiwan, desde 1979, quando o então presidente Jimmy Carter mudou o reconhecimento diplomático de Taiwan para a China, reconhecendo Taiwan como parte de “uma China única”.

Logo depois, o Ministério das Relações Exteriores da China disse ter apresentado “representações diplomáticas severas” com o que chamou de “lado relevante dos EUA”, instando a cuidadosa manipulação da questão de Taiwan para evitar quaisquer distúrbios desnecessários nos laços.

Histórico

Chiang Kai-shek e o Kuomitang governaram a China até a Guerra Civil com o Partido Comunista, em 1946. Ao perder o confronto, líderes do Kuomitang fugiram para a Ilha de Formosa e lá estabeleceram um governo provisório que reclamava sua soberania sobre toda a China. Inicialmente reconhecido como “a única China”, Taiwan perdeu o reconhecimento dos EUA. A estratégia americana era se aproximar dos comunistas para reduzir a influência soviética no país. Hoje, apenas 23 nações reconhecem Taiwan (a China não mantém relações diplomáticas com nenhum deles).

RT


 

Be Sociable, Share!

URL curta: http://navalbrasil.com/?p=251932

Publicado por em dez 15 2016. Arquivado em 3. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta, ou trackbacks a esta entrada

1 Comentário para “Embaixador da China nos EUA: ‘Soberania não é uma moeda de troca’”

  1. enganado

    Imaginem se este fosse o embaixador da CHINA aqui no __brziUS__ e viesse com esta conversa mole de SOBERANIA. Os tais generais do exercitUS dUS __braziUS__ tinham mandado fuzilar este COMUNISTA/BOLIVARIANO logo nas primeiras hora. Porque? Agentes da CIA no __braziUS__ : TEMER / JANOT / ALOYSIO “300 MIL” / FHC / AÓPIO / MORO e sua GANG / HERACLITO (sen. do PIAUÍ) / PF_DB / todos os judeu$$$ que trabalham para o P$$$DB e DEM / … etc. Então onde já viu falar em SOBERANIA aqui na rep. da ESCULHAMBAÇÃO? Só um louco que não tem amor a própria vida, pois acreditem, SOBERANIA do __braziUS_ só acontecerá 5 minutos antes do mundo se acabar. Olha, duvido que até aqueles que estão nascendo agora verão um BRASIL SOBERANO, pois parto do princípio que a lavagem cerebral até vai aumentar gradativamente até rasgarmos a bandeira, cantar o hino dos USA (sem sotaque caipira) e adotarmos a Constituição dos USA. O __braziUS__ é uma desgraça só e não tem quem dê jeito aqui na EXPELUNCA/POCILGA/… da DIREITA. Pago pra ver!!!!!

Deixe uma Resposta

CLIQUE ACIMA PARA RECEBER COMENTÁRIOS POR E-MAIL. ATENÇÃO: AO COMENTAR, UTILIZE UM E-MAIL ÚTIL - COOPERE COM NOSSO TRABALHO.

CLIQUE SOBRE AS NOTÍCIAS