Destituição de Dilma foi um golpe apoiado pelos EUA, diz Oliver Stone

 

Divulgação

Para Stone, destituição de Dilma foi "verdadeiramente a definição de um golpe de Estado"Para Stone, destituição de Dilma foi “verdadeiramente a definição de um golpe de Estado”

Para fazer o filme sobre a trajetória de Snowden, Stone teve muitas dificuldades nos Estados Unidos. Além de não conseguir angariar recursos para a produção, nenhum estúdio aceitou o projeto. Em entrevista à época do lançamento em seu país, o diretor falou sobre uma “censura velada”. Ou seja, mesmo sem uma “ordem”, os profissionais da maior indústria da sétima arte do mundo preferiram “não se envolver” na história.

No Brasil, o filme estreia nesta quinta-feira (10). A obra faz um resgate da trajetória de Edward Snowden (Joseph Gordon-Levitt), servidor da NSA (Agência de Segurança Nacional) dos Estados Unidos que decidiu, em 2013, deixar o serviço e revelar a extensão do programa de vigilância do governo aos jornalistas Glenn Greenwald (Zachary Quinto) e Ewen MacAskill (Tom Wilkinson), além da cineasta Laura Poitras (Melissa Leo).

Os vazamentos mostraram que a NSA não estava apenas rastreando terroristas, mas vigiando líderes mundiais, como a então presidenta Dilma, e grandes corporações, como a Petrobras.

Stone é reconhecido por seu engajamento político em sua bora e um admirador declarado de líderes da esquerda na América Latina, entre eles Fidel Castro, Hugo Chávez e Lula. Entre outros filmes, já dirigiu Wall Street (1987), JFK – A Pergunta que Não Quer Calar (1991) e Meu Amigo Hugo (2014).

 Portal Vermelho, com informações do UOL


 

Be Sociable, Share!

URL curta: http://navalbrasil.com/?p=251086

Publicado por em nov 9 2016. Arquivado em 1. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta, ou trackbacks a esta entrada

Deixe uma Resposta

CLIQUE ACIMA PARA RECEBER COMENTÁRIOS POR E-MAIL. ATENÇÃO: AO COMENTAR, UTILIZE UM E-MAIL ÚTIL - COOPERE COM NOSSO TRABALHO.

CLIQUE SOBRE AS NOTÍCIAS