Como a imprensa internacional reagiu ao impasse sobre a libertação de Lula

Manchete do “Clarín”: “Uma guerra de juízes pela liberação de Lula afunda o Brasil em
uma confusão; por ora, segue preso”

Manchete do "Clarín": "Uma guerra de juízes pela liberação de Lula afunda o Brasil em uma confusão; por ora, segue preso"

“Uma guerra de Juízes”. Foi assim que o jornal argentino “Clarín” resumiu as
reviravoltas em relação à prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT)
neste domingo. Órgãos de imprensa em diversas partes do mundo repercutiram a
série de decisões de desembargadores do TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª
Região) a favor e contra a libertação de Lula. Coube ao presidente do Tribunal,
desembargador Carlos Eduardo Thompson Flores, pôr fim às discussões e
determinar
Em sua cobertura sobre o caso, o “Clarín” afirmou que a sequência de medidas tomadas pelos desembargadores colocou todo o sistema jurídico brasileiro à beira do abismo. “Uma autêntica ‘guerra’ de resoluções desdobradas de forma desenfreada em torno da libertação do ex-presidente Lula da Silva”, escreveu o jornal argentino.

O norte-americano “The New York Times” chamou de “alvoroço legal” as decisões conflitantes sobre a soltura de Lula. O jornal também destacou que o Brasil está em período pré-eleitoral e que a ordem de soltar Lula foi a “mais recente reviravolta na corrida presidencial de outubro”.

Manchete do “New York Times”: “Juiz manda Brasil soltar ex-presidente Lula, disparando alvoroço legal”.

O jornal francês “Le Monde” afirmou que o Brasil está há três meses de uma das
eleições presidenciais mais incertas de sua história, e tratou o caso como um
“imbróglio em torno de uma ordem de libertação do ex-presidente Lula”.

O “El País” disse que o Brasil viveu neste domingo um “conflito judicial” a respeito
da libertação de Lula. O periódico espanhol também afirmou que o ex-presidente
praticamente esgotou suas possibilidades de reverter a condenação na segunda
instância e que ainda lhe resta recorrer a cortes superiores.

A rede britânica BBC destacou que o ex-presidente permanecerá preso após um dia
de “disputas legais”. Além disso, chamou Lula de “uma figura polarizadora”,
lembrando que neste ano milhares de pessoas foram às ruas tanto para pedir sua
prisão como para defender sua liberdade.

O italiano “Corriere della Sera” escreveu que num triste domingo, com a seleção
eliminada da Copa do Mundo e já voltando para casa, o “Brasil estremeceu por
algumas horas” por causa de um confronto entre juízes. O jornal ainda comparou a
guerra de decisões sobre a soltura de Lula ao caso Cesare Battisti.

uol


 

 

URL curta: http://navalbrasil.com/?p=258606

Publicado por em jul 9 2018. Arquivado em TÓPICO II. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta, ou trackbacks a esta entrada

1 Comentário para “Como a imprensa internacional reagiu ao impasse sobre a libertação de Lula”

  1. enganado

    Isto aqui é ou não é Terra sem LEIS, um verdadeiro PUTEIRO=GALINHEIRO=ZONA=MERETRÍCIO . . . da DIREITA_ANGLO SIONISTA_MILITAR_CLEPTOCRATA_PLUTOCRATA.

Deixe uma Resposta

CLIQUE SOBRE AS NOTÍCIAS