‘CIA, Mossad e MKO assassinaram cientistas nucleares iranianos’

Os serviços de inteligência ocidentais, em particular a CIA e o Mossad, assassinaram cientistas nucleares iranianos entre 2010 e 2012.

Segundo tem revelado Philip Giraldi, ex-agente da Agência Central de Inteligência (CIA, em inglês) dos Estados Unidos, a CIA e o Mossad (serviço de inteligência do regime de Israel) assassinaram a cientistas nucleares iranianos em colaboração com o grupo terrorista Muyahedi Jalq (MKO, em inglês) entre 2010 e 2012.

Em um artigo publicado no portal de notícias iricenter, Giraldi assegura que os serviços de inteligência estadounidense e israelenses em colaboração com o MKO assassinaram ao cientista nuclear iraniano Majid Shahriari o 28 de novembro de 2010 em Teerã, capital iraniana.

Depois de qualificar o assassinato de uma medida cínica por parte dos serviços de inteligência israelenses, assinala que a medida tinha como objetivo interferir e danificar o programa nuclear pacífico da República Islâmica do Irã.

“As investigações de Shahriari, quem figura entre os quatro cientistas nucleares iranianos assassinados entre 2010 e 2012, e quiçá o mais destacado, não tinham nada que ver com as organizações militares (iranianas)”, afirma Giraldi.

Segundo explica, Shahriari desempenhou um relevante papel no desenvolvimento das investigações nucleares do país persa e era bastante conhecido a nível internacional por suas contribuições científicas à física cuántica e a deslocação dos neutrones.

“A comunidade internacional admite o papel do Mossad no assassinato de Shahriari e o planejamento do assassinato dos demais científicos nucleares iranianos com ajuda do MKO”, alega o ex-agente.

Porém,  prossegue, o regime de Israel, baseando-se em relatórios da Agência Internacional de Energia atômica (AIEA) sobre o programa nuclear iraniano, identificou aos cientistas nucleares persas, assassinou-lhes e contaminou as instalações nucleares do Irã com o vírus Stuxnet em 2010.

Por último, Gilardi sugere que não se esqueça o assassinato de Shahriari, pois serve para recordar o papel do Mossad e os demais serviços de inteligência em assassinatos de pessoas inocentes.

O primeiro caso de assassinato ocorreu no dia 28 de novembro de 2010, quando um grupo de terroristas perpetrou dois atentados contra professores da Universidade Shahid Beheshti de Teerã. Em um destes ataques, o doutor Majid Shahriari perdeu a vida no local dos fatos e, no outro, o doutor Fereidun Abbasi e sua esposa resultaram feridos.

Assim mesmo, no dia 23 de julho de 2011, terroristas não identificados assassinaram ao cientista iraniano Dariush Rezainejad, de 35 anos de idade, e feriram a sua esposa perto de sua casa no leste de Teerã.

parstoday.com


 

Be Sociable, Share!

URL curta: http://navalbrasil.com/?p=251537

Publicado por em nov 30 2016. Arquivado em 4. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta, ou trackbacks a esta entrada

Deixe uma Resposta

CLIQUE ACIMA PARA RECEBER COMENTÁRIOS POR E-MAIL. ATENÇÃO: AO COMENTAR, UTILIZE UM E-MAIL ÚTIL - COOPERE COM NOSSO TRABALHO.

CLIQUE SOBRE AS NOTÍCIAS