Capacidades do S-500 deixam a perder todos esforços do Pentágono

O sistema antimíssil de novíssima geração, o S-500 Prometey, também conhecido como 55R6M Triumfator-M, permitirá à Rússia proteger grandes áreas das armas ofensivas mais letais, incluindo armas hipersónicas e mísseis balísticos intercontinentais.

Sistema de defesa antiárea russo S-400 Triumf, região de Moscou, Rússia

Victor Murakhovsky, analista militar, falou à Rádio Sputnik sobre as capacidades dos mísseis russos S-500. O analista descreveu o S-500 como um sistema da vanguarda e antibalístico avançado, universal, multifuncional e integrado, que deve substituir o S-300 e complementar o complexo S-400. “Este é o próximo passo: possuir capacidades de defesa aérea para os níveis operacionais e estratégicos”, salientou ele. “O S-500 nos permite proteger regiões inteiras de mísseis balísticos intercontinentais e outras armas avançadas, incluindo as aeronaves hipersónicas que atualmente se desenvolvem nos EUA”. O especialista acrescentou que o S-500 também será capaz de atingir alvos no espaço próximo, incluindo satélites equipados com sistemas de supervisão eletro-ópticos.

“É uma grande decepção para o Pentágono: tanto dinheiro gasto em criar um sistema para o chamado ‘ataque global rápido’, para desenvolver aeronaves hipersónicas e mísseis de cruzeiro. E tudo ‘vai pelo vaso sanitário’. São centenas de milhares de milhões de dólares”, explicou o especialista militar. Murakhovsky também afirmou que os dirigentes do Pentágono em alguns documentos expressaram sua preocupação por a Rússia estar criando, segundo eles, “zonas escuras de acesso limitado ou proibido” em suas fronteiras, em particular, na região de Kaliningrado e no Extremo Oriente.

Além disso, o mais recente sistema de defesa aérea da Rússia “faz com que os americanos se sintam nervosos, tendo em conta que o S-500 é um sistema puramente defensivo e que os Estados Unidos se retiraram unilateralmente do Tratado de Mísseis antibalísticos”.

Washington decidiu se retirar do tratado em 2001, deixando sem efeito um dos acordos internacionais sobre armamento mais importantes. As características técnicas do complexo S-500, projetado pela Almaz Antey, permitem detectar e atacar simultaneamente até dez ogivas separadas dos mísseis balísticos, que voem a uma velocidade de até 7 quilômetros por segundo, o que equivale a 25.000 km/h. O S-500 será uma atualização importante do complexo S-400 de última geração, que já está em serviço.

“É claro que o S-500 é destinado a servir como um sistema de mísseis antibalístico de alta altitude para a defesa nacional, que poderia ser útil para o A2-AD — [anti-access/area denial, na sigla em inglês) e para funções antissatélite. É projetado para ser móvel e difícil de detectar, para resistir aos ataques de supressão de defesa aérea”, escreveu anteriormente Sebastien Roblin no The National Interest.

sputniknews.com


 

Be Sociable, Share!

URL curta: http://navalbrasil.com/?p=251207

Publicado por em nov 16 2016. Arquivado em 2. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta, ou trackbacks a esta entrada

Deixe uma Resposta

CLIQUE ACIMA PARA RECEBER COMENTÁRIOS POR E-MAIL. ATENÇÃO: AO COMENTAR, UTILIZE UM E-MAIL ÚTIL - COOPERE COM NOSSO TRABALHO.

CLIQUE SOBRE AS NOTÍCIAS