Brian Mier: Plano econômico brasileiro parece vir de Washington

 

O jornalista estadunidense e editor do site Brasil Wire, Brian Mier, concedeu entrevista na TV 247 nesta semana, na qual analisou os artifícios usados pelos Estados Unidos para permanecerem hegemônicos no mundo. Ele considera que o processo de degradação brasileira pós-golpe faz parte de um plano de dominação imperialista que retira a soberania conquistada nos últimos 13 anos de governos progressistas. “O plano econômico brasileiro parece ser feito em Washington”, condena.

Ele reforça que os Estados Unidos da América só legitimam eleições que agradem a eles, como exemplo, o não reconhecimento da vitória de Nicolás Maduro. “Há anos eles tentam derrubar o governo socialista venezuelano, principalmente pelo fato do país ser grande fonte de petróleo, da mesma forma que eles estão pressionando o Brasil para privatizar o Pré-Sal”, compara.

Brian Mier segue desconstruindo o não reconhecimento dos EUA nas eleições venezuelanas, dizendo que o processo eleitoral estadunidense não é nenhum parâmetro de democracia. “Na última eleição, Hillary Clinton tinha mais votos que Donald Trump, mas o republicano foi eleito. O sistema de votação é completamente enrolado. Um voto em Montana, que é um estado pequeno, tem um peso três vezes maior de quem vota na Califórnia”, elucida.

No contexto brasileiro, Mier afirma que o Brasil virou fantoche nas mãos dos EUA. “Todos os projetos realizados nos últimos 13 anos de governos progressistas, da soberania nacional representada pela participação no BRICS foi por água abaixo em 2016, após o golpe de Estado.  O atual plano econômico brasileiro parece ser feito em Washington”, condena o jornalista.

Brasil247


Nota da Redação:

Precisa de comentários??

Be Sociable, Share!

URL curta: http://navalbrasil.com/?p=258361

Publicado por em maio 28 2018. Arquivado em TÓPICO II. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta, ou trackbacks a esta entrada

Deixe uma Resposta

CLIQUE ACIMA PARA RECEBER COMENTÁRIOS POR E-MAIL. ATENÇÃO: AO COMENTAR, UTILIZE UM E-MAIL ÚTIL - COOPERE COM NOSSO TRABALHO.

CLIQUE SOBRE AS NOTÍCIAS