Beirute pede que a rede de defesa aérea da Rússia cubra o Líbano e a Síria

Exclusivo : O presidente libanês, Michel Aoun, pediu a Moscou que leve o espaço aéreo libanês sob a proteção do sistema de defesa aérea russo que está sendo implantado na Síria, revelam fontes militares e de inteligência do DEBKAfile. O presidente Vladimir Putin ainda não respondeu ao pedido que Aoun postou em canais anteriores. Mas nem ele até agora o rejeitou. Por enquanto, está em discussão nos níveis mais altos do Ministério da Defesa da Rússia, que tendem a recomendar aprovação.

De acordo com as nossas fontes, o enquadramento do pedido de Beirute passou por vários rascunhos com a ajuda do amigo e aliado do Presidente Aoun, o líder do Hezbollah, Hassan Nasrallah, até o aprovar – ou seja, até Teerão aprovar.

Se Putin decidir conceder o pedido libanês de cobertura de defesa aérea russa, Israel enfrentará uma nova restrição russa às operações de sua força aérea no Mediterrâneo oriental, além do poderoso sistema de defesa aérea russo, que está nos últimos estágios de implantação na Síria. . Este sistema é composto de mísseis de defesa aérea S-300, S-400 e Pantsir-S1E, impulsionados por camadas de baterias anti-ar de médio e curto alcance e por uma avançada rede de guerra eletrônica.

Debkafile (site sionista)


Nota da Redação:

Se isso for verdade e acontecer, adeus às incursões atrevidas e ilegais de Israel dentro dos espaços aéreos da Síria e Líbano, para impor sua política sionista com apoio dos EUA.

Quanto ao Irã que está muito bem protegido por seus próprios meios, Israel ainda não adquiriu coragem para sozinho adentrar no espaço aéreo do país persa.

Be Sociable, Share!

URL curta: http://navalbrasil.com/?p=259343

Publicado por em nov 20 2018. Arquivado em TÓPICO II. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta, ou trackbacks a esta entrada

Deixe uma Resposta

CLIQUE ACIMA PARA RECEBER COMENTÁRIOS POR E-MAIL. ATENÇÃO: AO COMENTAR, UTILIZE UM E-MAIL ÚTIL - COOPERE COM NOSSO TRABALHO.

CLIQUE SOBRE AS NOTÍCIAS