Assistente de Pompeo diz que venda do S-400 para Turquia seria ‘catástrofe’ para os EUA

Se a Turquia comprar o sistema antiaéreo russo S-400, seria catastrófico para os EUA e poderia implicar um desmembramento com o governo turco, disse um secretário de Estado adjunto recentemente escolhido em conversa com legisladores dos EUA durante as audiências de confirmação.

A visão pessimista sobre a discussão de Washington com Ancara sobre o sistema de armas russo veio de René Clarke Cooper, nomeado para ser o secretário de Estado adjunto para assuntos político-militares.

Bandeira turca sobre a embaixada da Turquia em Moscou, Rússia, abril de 2016
© SPUTNIK / VLADIMIR ASTAPKOVICH
Turquia protesta contra sanções dos EUA aplicadas aos seus ministros

Cooper conversou com a Comissão de Relações Exteriores do Senado nesta quarta-feira para convencê-los de que ele é o homem certo para ajudar o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo.

Em determinado ponto, a senadora democrata Jeanne Shaheen perguntou sobre o acordo russo-turco e os EUA se moveram para barrar o fornecimento de caças F-35 em retaliação.

“A venda de algo como o S-400 seria catastrófico para nós”, disse Cooper a Shaheen.

“Não queremos que um aliado da OTAN dependa da prestação de serviços e fornecimento de equipamentos fornecidos pela Rússia. Isso é para mim um ponto de vista operacional. O ponto de vista estratégico é que não queremos que um aliado da OTAN tenha um sistema de armas fornecido pela Rússia”, acrescentou.

Ele admitiu que, se a cooperação de longa data entre a Turquia e os EUA fosse desmembrada, também seria catastrófico.

Cooper falou horas antes que a Casa Branca anunciasse sanções contra dois ministros turcos como parte do impasse sobre o pastor Andrew Brunson, um cidadão norte-americano mantido sob custódia por Ancara por causa de seu suposto apoio ao golpe militar fracassado de 2016.

O ministro do Interior e o ministro da Justiça da Turquia foram punidos com sanções quando Washington os considerou responsáveis pela detenção de Brunson e violações dos direitos humanos. Ancara já havia prometido responder com contra-sanções.

Caça norte-americano F-35 Lightning II
CC0
Congresso americano bloqueia venda de caças F-35 à Turquia por causa dos S-400 russos, diz imprensa

Autoridades dos EUA afirmaram repetidamente que a compra do sistema russo de defesa aérea de longo alcance pela Turquia era contra os interesses da OTAN e comprometia a aliança.

A Lei de Autorização de Defesa Nacional de 2019 aprovada no Senado na quarta-feira impede o fornecimento de jatos F-35 avançados até que o Pentágono e o Departamento de Estado produzam um relatório sobre a presença militar e diplomática dos EUA no país e as possíveis consequências da remoção completa da Turquia do programa F-35.

Sputnik


Nota da Redação:

O problema é a temível qualidade do ciber-ataque eletrônico russo, pois assim que a Turquia colocar o sistema S-400 para funcionar, em rede com as outras defesas ligadas à Otan, para treinamento, por exemplo, corre o risco dos russos conseguirem captar os sinais em algum sistema oculto dentro do software do equipamento!

Só isso nada mais, que os EUA não tem coragem de confessar e os russos se fazem de desentendidos!

URL curta: http://navalbrasil.com/?p=258746

Publicado por em ago 2 2018. Arquivado em TÓPICO III. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta, ou trackbacks a esta entrada

Deixe uma Resposta

CLIQUE SOBRE AS NOTÍCIAS