Analista americano: A Coreia do Norte não é tola em aceitar modelo de desarmamento da Líbia

Scott Bennett, fala à Press TV sobre a proposta de Bolton de um modelo de desarmamento da Líbia para a Coréia do Norte.

A Coréia do Norte sabe muito bem que aceitar um modelo de desarmamento como o que o Ocidente oferecia à Líbia seria “tolo”, diz um analista americano, argumentando que o mesmo modelo acabou levando à destruição da Líbia.

Scott Bennett, um ex-oficial de guerra psicológica do Exército dos EUA, fez as declarações na segunda-feira, um dia depois que o novo conselheiro de segurança nacional do presidente Donald Trump, John Bolton, disse que a Casa Branca estava considerando um modelo da Líbia para desnuclearizar a Coréia do Norte.

Isto é enquanto Pyongyang já destacou o modelo no passado como uma fonte de sua desconfiança para Washington.

O processo viu o ex-líder líbio Muammar Gaddafi fazer uma divulgação completa sobre os programas de armas que seu país estava administrando.

Como fizeram na Líbia, os americanos tentariam destruir qualquer programa de armas nucleares, químicas e biológicas que a Coréia do Norte pudesse estar executando, antes que os EUA pudessem fazer concessões, acrescentou Bolton.

Logo após o desarmamento, vários grupos políticos na Líbia declararam guerra uns contra os outros e o país ficou tão desestabilizado que, em 2011, os EUA e seus aliados decidiram intervir militarmente e expulsar Gaddafi. Isso levou à captura e morte de Gaddafi nas mãos de rebeldes apoiados pelos EUA.

O caos piorou uma vez que o Daesh e outros grupos terroristas takfiri chegaram ao poder em partes da Líbia. O país nunca conseguiu se recuperar da crise.

PressTV-US pesa modelo da Líbia para N Coréia: Bolton

John Bolton diz que a Casa Branca está montando um modelo de desarmamento para a Coreia do Norte semelhante ao que foi realizado na Líbia no início dos anos 2000.

“O modelo líbio é um fracasso absoluto e a demonstração de miséria, hipocrisia, traição e realmente os piores elementos da política externa de mudança de regime”, disse Bennett.

“Se John Bolton é realmente sério, se ele está de alguma forma fora de sua medicação, e está realmente e realisticamente prevendo o modelo da Líbia e o verdadeiro instrumento a ser aplicado, é um sinal da absoluta insanidade do conselheiro de segurança nacional dos Estados Unidos” Bennett acrescentou.

Tal movimento também destruiria qualquer respeito que o governo Trump ainda pudesse ter na comunidade internacional, disse o analista, especialmente agora que Bolton “se vê como a maré do oceano e todos os outros regimes do governo como um castelo de areia”.

Bennett disse que se Washington realmente implementasse o modelo da Líbia, Pyongyang precisava reagir e evitar um cenário semelhante na Coréia do Norte.

“A Líbia é um conto preventivo de traição, de promessas, de trapaça” e uma mistura de ações da administração do ex-presidente dos EUA, Barack Obama, e sua secretária de Estado, Hillary Clinton, explicou o analista.

Referindo-se à intervenção militar ocidental que levou à queda de Gaddafi em 2011, Bennett disse que ao lado de Obama, os ex-líderes do Reino Unido e da França também são culpados pelo agravamento da situação na Líbia. Uma intervenção que ele disse que os sauditas haviam financiado.

“Todas essas pessoas conspiraram para derrubar Gaddafi para mentir para ele, para mentir para o povo líbio e quando eles de fato entregaram suas armas e prometeram não desenvolver nenhum, eles foram então canibalizados”, argumentou.

“Esse é um resultado final que a Coréia do Norte precisa entender com muito cuidado”, disse ele. “É um fim inevitável se eles renunciarem à sua capacidade de se defenderem e eu não acho que os coreanos são tão tolos.”

Presstv


 

Be Sociable, Share!

URL curta: http://navalbrasil.com/?p=258155

Publicado por em maio 1 2018. Arquivado em TÓPICO IV. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta, ou trackbacks a esta entrada

Deixe uma Resposta

CLIQUE ACIMA PARA RECEBER COMENTÁRIOS POR E-MAIL. ATENÇÃO: AO COMENTAR, UTILIZE UM E-MAIL ÚTIL - COOPERE COM NOSSO TRABALHO.

CLIQUE SOBRE AS NOTÍCIAS