A Turquia deveria confiar nos EUA?

Na semana passada, as Forças Armadas turcas entraram em Afrin no Aleppo da Síria. De acordo com a agência de notícias Kurdish Hawar, com sede na Síria, a Turquia também pretende implantar tropas perto da área de Raju e colocar seus veículos blindados lá.

Muitos especialistas sírios acreditam que  Ancara coopera com o Harakat Nour Al-Din al-Zenki apoiado pelos EUA . Anteriormente, o porta-voz do grupo de oposição armado Abdulsalam Adbulrazaq  informou  que Harakat Nour al-Din al-Zenki chegou a um acordo com as tropas turcas sobre o desdobramento de soldados turcos em posições de monitoramento em Aleppo Ocidental.

De acordo com estimativas preliminares, a Turquia fornecerá militantes da oposição com todas as armas necessárias, e os combatentes de Harakat Nour al-Din al-Zenki, por sua vez, protegerão e protegerão os soldados turcos quando se mudarem para novos cargos. Não há dúvida de que o grupo apoiado pelos EUA atua com o consentimento tácito de seu patrono.

Notavelmente, tais acordos e maior coesão entre os dois lados foram alcançados no contexto da recente visita oficial do primeiro ministro turco Binali Yıldırım aos Estados Unidos. O político turco enfatizou que a  Turquia e os EUA poderiam fazer “um novo começo”.

A melhoria das relações entre Ancara e Washington também é comprovada pelas tensões entre os EUA e os curdos. Aparentemente, isso foi causado pela recusa real  das formações curdas a participar de combates diretos com o exército sírio (SAA)  na região do Eufrates.

Além disso, depois que os EUA não reconheceram oficialmente o referendo do povo curdo para a independência do Iraque, as Forças Democráticas da Síria (SDF) ficaram confusas. O comando das forças curdas chegou à conclusão de que, apesar de todas as garantias de apoio, Washington poderia afastar-se nitidamente deles a qualquer momento.

De qualquer forma, apesar do fato de que ambos os lados não tiveram comentários oficiais sobre sua coordenação ainda, torna-se óbvio que Washington mudou suas prioridades mais uma vez. Agora, é mais importante para os EUA manter boas graças ao seu parceiro da OTAN do que defender os interesses do lado curdo.

No entanto, a este respeito, surge uma questão: a Turquia deve confiar em Washington se os EUA estiverem prontos para jogar o cartão curdo sempre que possível?

Anna Jaunger é jornalista freelancer do Inside Syria Media Center, onde este artigo foi originalmente publicado.


Be Sociable, Share!

URL curta: http://navalbrasil.com/?p=256845

Publicado por em nov 20 2017. Arquivado em 4. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta, ou trackbacks a esta entrada

Deixe uma Resposta

CLIQUE ACIMA PARA RECEBER COMENTÁRIOS POR E-MAIL. ATENÇÃO: AO COMENTAR, UTILIZE UM E-MAIL ÚTIL - COOPERE COM NOSSO TRABALHO.

CLIQUE SOBRE AS NOTÍCIAS