A palavra Comunismo não ofende

A palavra Comunismo não ofende. 27012.jpeg

Você diz, comunista, e as pessoas te olham, ora com desdem – não percebe que o comunismo já era, que fracassou? – ora com espanto – ainda existe um que acredita nisso?+

Outros te atacam com argumentos pretensamente históricos – fracassou na Rússia e não deu certo em lugar algum.

Tem os mais informados – traíram as ideias de Marx – com Lenin ou Trotski talvez tivesse dado certo, mas Stalin estragou tudo .

Tem os agressivos – vai para Cuba ou Coréia do Norte para ver o que é bom.

Enfim, por que essa palavra – comunismo – provoca tantos sentimentos exaltados?

No dicionário está escrito que a palavra comunismo provém do latim “communis”, o que é comum a todos. A sociedade humana se socializou sobre a forma comunista no seu passado mais remoto. Não havia outra forma de enfrentar as dificuldades que a natureza impunha.

Com o passar dos séculos, os mais fortes, os mais inteligentes, os mais hábeis foram se destacando e a sociedade evoluiu, assumindo novas formas de apropriação das riquezas, chegando até ao capitalismo atual.

Ele gerou progresso, riqueza, mas tem um problema grave. Ele é excludente sob o ponto de vista social. Ele deixa de fora das suas benesses a maioria da população. Então, as vanguardas intelectuais foram formulando novas maneiras mais humanas de organizar a sociedade.

Marx foi o que mais avançou nesse sentindo, ao sintetizar as três mais importantes correntes do pensamento ocidental – o socialismo utópico francês, a filosofia alemã e o pensamento econômico inglês – formulando uma teoria, que hoje chamamos de marxismo, destinada a organizar o caminho para a criação de um sistema social mais justo e humano.

Várias tentativas foram feitas no sentido de se chegar ao que Marx chamava de comunismo. Umas, como a Comuna de Paris, duraram semanas e outras como a Revolução Russa duraram décadas. O capitalismo levou mais de 500 anos para chegar ao modelo atual. O comunismo certamente levará menos tempo.

Filósofos, com Meszaros, Bodieu, Zizek e Losurdo, entre outros pensadores, escrevem continuamente sobre esse processo. Como ele será, é um tema em aberto, mas não podemos abrir mão de chegar lá, acima de tudo porque ele tem um conteúdo ético que o capitalismo, apesar do seu sucesso, nunca teve.

Comunismo significa igualdade de oportunidades para todos, ou como dizia muito melhor, Rosa Luxemburgo:um mundo onde sejamos socialmente iguais, humanamente diferentes e totalmente livres.

Marino Boeira é jornalista, formado em História pela UFRGS


 

Be Sociable, Share!

URL curta: http://navalbrasil.com/?p=255831

Publicado por em jul 28 2017. Arquivado em 2. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta, ou trackbacks a esta entrada

Deixe uma Resposta

CLIQUE ACIMA PARA RECEBER COMENTÁRIOS POR E-MAIL. ATENÇÃO: AO COMENTAR, UTILIZE UM E-MAIL ÚTIL - COOPERE COM NOSSO TRABALHO.

CLIQUE SOBRE AS NOTÍCIAS