General iraniano diz que arsenal de mísseis de seu país é inegociável

:

O vice-chefe do Exército, o contra-almirante Sayyari, ecoando as recentes declarações do líder da Revolução Islâmica, Ayatollah Seyed Ali Khamenei, afirmou que as capacidades de defesa e mísseis do Irã nunca estariam sujeitas a negociações.

Sayyari disse à Tasnim News Agency que as palavras do Líder Supremo sobre a impossibilidade de conversações sobre as capacidades de defesa e mísseis do Irã eram claras.

“Declaramos explicitamente que o poder de defesa e os mísseis do Irã são absolutamente inegociáveis”, afirmou o general, acrescentando: “Os europeus podem ter muitos desejos e sonhos, mas não permitiremos que realizem o sonho de manter conversas sobre mísseis com o Irã”.

O comandante também descartou qualquer possibilidade de negociar com os EUA, comparando-os a um veneno letal.

Em comentários no mês passado, o aiatolá Khamenei descartou categoricamente a ideia de conversações com os EUA, sobretudo com a atual administração.

No domingo (2), o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, disse que os EUA estariam dispostos a conversar com o Irã quando esse país começasse a se comportar “como uma nação normal”.

O Ministério das Relações Exteriores iraniano acusou Pompeo de “brincar com as palavras” e disse que uma mudança de conduta, e não apenas retórica, era necessária para “que qualquer conversa aconteça”.

Brasil247


Nota da Redação:

Os mísseis do Irã que a cada dia estão bem mais tecnológicos e letais, são sua espinha dorsal de defesa. Eles impõe temor e medo aos seus inimigos,  dessa forma, o grande medo do inimigo sionista ou imperialista, é a capacidade rápida de resposta de contra ataque e o efeito devastador.

Be Sociable, Share!

URL curta: http://navalbrasil.com/?p=260315

Publicado por em jun 3 2019. Arquivado em TÓPICO I. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta, ou trackbacks a esta entrada

Deixe uma Resposta

CLIQUE ACIMA PARA RECEBER COMENTÁRIOS POR E-MAIL. ATENÇÃO: AO COMENTAR, UTILIZE UM E-MAIL ÚTIL - COOPERE COM NOSSO TRABALHO.

CLIQUE SOBRE AS NOTÍCIAS